"Mais de 300 mil fãs visitam o Grande Prémio (GP) dos Países Baixos, em Zandvoort, este fim-de-semana. 35% vem de bicicleta, 35% de comboio, 15% de autocarro e 15% por outros meio. Zero carros. Para um evento de Fórmula 1", destaca publicação de 2 de setembro, no Facebook, divulgada na página oficial do "Instituto de Ciclismo Urbano".

A medida não é nova: o política de "carros zero" começou em 2021, ainda em pandemia de Covid-19, quando a organização do GP dos Países Baixos decidiu fechar as duas estradas com acesso ao pequeno resort onde decorre o evento. A ideia forçou os fãs (máximo imposto de 70 mil por dia) a escolherem outros tipos de transportes, mas a organização deu uma ajuda.

"A mobilidade foi uma das nossas principais preocupações quando ficou claro que a Fórmula 1 poderia retornar a Zandvoort", explicou à agência Reuters o diretor de circuito Robert van Overdijk, em setembro de 2021. "É ótimo ver que o plano que imaginámos há mais de dois anos funciona e compensa".

Com o objetivo de se certificar que "todos usem a opção mais sustentável para chegar ao circuito", em Zandvoort, a equipa responsável pelo GP decidiu "oferecer" zero opções de estacionamento em Zandvoort. "Dessa forma, todos podem fazer uso das opções mais sustentáveis, com base nos nossos conselhos. A medida é implementada com base na expansão da capacidade ferroviária, do plano de bicicletas, transporte de autocarros a 'gasóleo verde' , conselhos de viagem sustentáveis e instalações temporárias de carregamento elétrico".

A organização apela ainda aos seus fornecedores que "limitem o número de movimentos de transporte através de um planeamento logístico inteligente", recomendando-lhes ainda a utilização de "transportes elétricos ou movidos a hidrogénio, sempre que possível".

Este ano, a adesão superou as expectativas: mais de 95 mil espectadores assistiram ao primeiro dia de competição. E sim, o mais provável é que tenham chegado de bicicleta ou transporte público. Ambas as opções são exploradas no portal do GP dos Países Baixos.

Bicicleta: "Não há país no mundo onde os habitantes tenham tantas bicicletas e pratiquem ciclismo como aqui. O ciclismo é a melhor opção para todos os que vivem na região e para todos aqueles que têm um carro (com ou sem um atrelado), quer traga  a sua própria bicicleta de carro ou alugue uma das que se encontram disponíveis para reserva na área de Zandvoort. As chamadas áreas Park+Bike (P+B) foram configuradas para esse fim. Estes locais de Park+Bike estão a uma distância de bicicleta de 30 a 35 minutos de Zandvoort."

Comboio: "O Grande Prémio dos Países Baixos de Fórmula 1 é o único GP do mundo com uma estação de comboio a uma curta distância do circuito. Especialmente para o evento, um grande número de comboios extras será posto em utilização. Não é permitido transportar a sua bicicleta no comboio durante o fim-de-semana da corrida. Da estação Zandvoort aan Zee, são pouco mais de dez minutos a pé até à entrada do circuito. A rota, que será seguida por dezenas de milhares de fãs de corridas, faz parte da 'última milha', onde há muito para ver e fazer."

Autocarro: "O transporte através de autocarro é uma das melhores opções para todos os que vivem na região de Amsterdão e Haarlemmermeer. Os visitantes que chegam de fora dessas regiões têm preferência por opções de transporte, o que significa que o transporte público de autocarro é uma maneira mais confortável e tranquila de viajar para o circuito. A Connexxion produziu um bilhete especialmente para este evento, com o qual pode viajar para uma estação de autocarro a poucos passos do circuito."

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
International Fact-Checking Network