Os estudos científicos são uma espécie de ser que se torna vivo na Internet. Todos os dias surgem vários sobre temáticas diferentes. Alguns, por serem tão insólitos, ganham vida própria e alcançam milhares e milhares de pessoas, talvez por parecerem, até, brincadeira. É o caso de um que foi, nos últimos dias, partilhado pelo site Huzlers: «Novo estudo científico sugere que a canábis pode conduzir à homossexualidade».

O título pode dar para rir, mas ainda assim a curiosidade leva, quase sempre, a que se queira descobrir o porquê de tal conclusão: «Um estudo científico, liderado por Dicken Mybutt sugere que a canábis não só afeta a vida sexual da pessoa que a consome, como também pode levar à homossexualidade. Ele garante que o novo estudo descobriu que os homens que fumam canábis ficam mais predispostos a considerar outros homens atraentes.»

Uma coisa é certa: o primeiro parágrafo da notícia arrancará muitas gargalhadas à maior parte dos leitores, pelo menos os mais esclarecidos, porém a história não fica ali: «O Dr. Dicken Mybutt começou o seu estudo sobre o uso de canábis e os efeitos secundários da droga depois de perder a sua carteira e não ter dinheiro para pagar ao traficante. Nessa altura, o traficante aceitou fazer um acordo, e o médico apercebeu-se que começou a fazer sexo oral ao traficante. Dr. Dicken Mybutt diz que é heterossexual e acredita que a canábis foi uma parte ativa nas suas ações».

Por incrível que pareça, nas redes sociais, muitos utilizadores partilham as histórias inventadas deste tipo de sites como se fossem uma verdade absoluta - daí a necessidade de a desmentir. No caso da canábis, o artigo já foi partilhado milhares de vezes e conta com cerca de 200 mil gostos no Facebook.

O terceiro e último parágrafo refere que foram estudados 50 homens heterossexuais que não tinham por hábito fumar canábis, que depois de começarem a consumir a droga deixaram de sentir desconforto ao assistir a filmes pornográficos gay.

A conclusão de alguns será a de que o tal médico é homossexual e só anda a arranjar uma desculpa para a orientação sexual. Outros, ficarão logo de pé atrás com o nome do especialista: Dicken Mybutt. Afastando a carga homofóbica da história, não é difícil concluir que o tal estudo e a notícia não passam de uma mentira, o que também foi confirmado pelo site de verificação de factos Lead Stories.

gay
créditos: Pixabay

O estudo que relaciona o consumo de canábis e a homossexualidade foi publicado por um blog especializado em criar histórias de ficção que, inclusivamente, tem um aviso sobre o carácter ficcional do conteúdo, na primeira página: «O Huzlers é um blog de notícias falsas e satíricas que se debruça sobre celebridades, hip-hop e entretenimento urbano. Se é tendência, está aqui».

De acordo com os sites Splinter News e Buzzfeed, a página satírica da autoria de Pablo Reyes e David Martinez está envolvida com muitos outros sites de notícias falsas. Os autores tentam afastar-se de histórias políticas, optando por escrever para uma audiência mais urbana, com histórias sobre rappers, criminosos e celebridades.

Apesar de tudo, e por incrível que pareça, nas redes sociais, muitos utilizadores partilham as histórias inventadas deste tipo de sites como se fossem uma verdade absoluta - daí a necessidade de a desmentir. No caso da canábis, o artigo já foi partilhado milhares de vezes e conta com cerca de 200 mil gostos no Facebook.

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Pimenta na Língua
International Fact-Checking Network