"Há que estar atentos! Esta notícia está confirmada, máscaras levam à pneumonia", alerta-se na mensagem da publicação em causa, datada de 25 de outubro.

Na suposta "notícia", em forma de imagem, alega-se que o atual diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas (NIAID) dos EUA, Anthony Fauci, terá sido co-autor de uma investigação em que se descobriu que a maioria das vítimas da pandemia de gripe espanhola (1918-1919) terá morrido por causa de pneumonias provocadas pela utilização de máscaras.

Gripe espanhola pneumonia

"[Os autores do estudo] descobriram que a maioria das vítimas da gripe espanhola não morreu de gripe espanhola. Morreu de pneumonia bacteriana. E essa pneumonia bacteriana foi causada por… Esperem, esperem… Pelo uso de máscaras", destaca-se no texto da "notícia" que está a ser difundida nas redes sociais, através de múltiplas publicações, em várias línguas.

Verdade ou falsidade?

O diretor do NIAID é realmente co-autor de um estudo sobre a pandemia de gripe espanhola (1918-1919) que terá provocado a morte de entre 50 a 100 milhões de pessoas, num total de cerca de 500 milhões de infetados. Os resultados da investigação de Fauci, em parceria com outros dois cientistas do NIAID, foram divulgados em agosto de 2008. 

Segundo os investigadores, "a maioria das mortes durante a pandemia de influenza de 1918-1919 não foi causada pelo vírus influenza agindo sozinho", mas sim pela "pneumonia bacteriana", após a infeção pelo vírus da gripe. No entanto, o estudo não apresenta qualquer ligação (direta ou indireta) entre tal doença e a utilização de máscaras para evitar a propagação do contágio. 

"A pneumonia foi causada quando bactérias, que normalmente habitam o nariz e a garganta, invadiram os pulmões ao longo de uma via criada quando o vírus destruiu as células que revestem os brônquios e os pulmões", explica-se em comunicado emitido na altura. 

"O peso das evidências que examinámos, tanto nas análises históricas, como nas análises modernas da pandemia de influenza de 1918, favorece um cenário em que o dano viral seguido da pneumonia bacteriana causou a grande maioria das mortes", sublinhou Fauci. De acordo com o imunologista, "o vírus deu o primeiro golpe, enquanto a bactéria deu o golpe final".

Nesse mesmo estudo, os investigadores alertaram para a possibilidade de um surto de influenza poder repetir-se "de forma semelhante" e, como tal, os preparativos para enfrentar essa possível pandemia devem incluir medidas para criar reservas de antibióticos e vacinas bacterianas, além de esforços para produzir ou melhorar vacinas contra a gripe e medicamentos antivirais. 

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network