O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Este vídeo partilhado no WhatsApp retrata militantes do Hamas a executarem israelitas na Faixa de Gaza?

Guerra Israel-Hamas
O que está em causa?
O conflito entre o Hamas e Israel fez disparar a partilha de vídeos com assassinatos em série, cometidos em contexto de guerra. Num deles, garante-se que mostra israelitas a serem executados na Faixa de Gaza. Verdadeiro ou falso?

“Dar a conhecer ao mundo o genocídio que está a ser perpetrado na Faixa de Gaza pelo grupo terrorista Hamas”.

Este é um dos textos que acompanha a divulgação massificada no WhatsApp de um vídeo com várias execuções realizadas por um soldado.

O conteúdo das diferentes mensagens que acompanham este clip extremamente violento refere-se a vítimas israelitas (civis), que estão em fuga daquela parcela de território com pouco mais de 350 km² de área.

O tempo e o espaço que contextualizam o vídeo correspondem à realidade?

Não. Através da busca reversa de imagens, chega-se a este mesmo vídeo reportando outros factos, num país e tempo diferentes.

As imagens foram publicadas pelo “The Guardian”, a 16 de abril de 2022, após este jornal britânico ter tido acesso a uma investigação conduzida por dois professores/pesquisadores da Universidade de Amesterdão que denunciavam a prática de mais um massacre de opositores ao regime do presidente da Síria, Bashar al-Assad.

A investigação partiu de uma fuga de informação oriunda das próprias forças milicianas de Assad e foi depois desenvolvida, em grande medida, através de informações obtidas através da criação de um perfil falso de Facebook, que se dizia apoiante do regime sírio.

Partilhado viralmente em redes sociais como o X/Twitter ou o TikTok, diz-se que retrata como é atualmente a "vida em Gaza", com imagens de uma multidão a dormir ao ar livre. Mas na realidade foi captado a 5 de agosto no Parque Tejo, em Lisboa, durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Não tem qualquer relação com a Faixa de Gaza e a guerra reacendida a 7 de outubro pelos ataques do Hamas a Israel.

Assim, o vídeo mostra algumas das 41 execuções ocorridas no dia 16 de abril de 2013, nas ruas de Tadamon, subúrbio de Damasco, capital da Síria. Naquele que ficou conhecido como o “Massacre de Tadamon”, Amjad Yousef, membro do serviço de inteligência militar afeto a Bashar al-Assad, tirou a vida a mais de quatro dezenas de pessoas.

As imagens que circulam no WhatsApp não foram, por isso, filmadas na Faixa de Gaza. Não têm qualquer relação com o conflito Hamas/Israel e tão pouco são deste ano. Na realidade foram captadas na Síria, em 2013, e referem-se a crimes cometidos por um militar das forças de Bashar al-Assad.

_____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque