O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Este vídeo mostra “livro pornográfico infantil” destinado a incutir a agenda “LGBTI” nas crianças?

Sociedade
O que está em causa?
Nas redes sociais está a circular um vídeo que exibe um livro, intitulado “Mom and Dad’s Swinger Party” (“A festa de ‘swing’ da mãe e do pai”, em tradução livre), que seria supostamente destinado a uma faixa etária infantil. Mas a história está a ser mal contada. O Polígrafo esclarece.

“Tal como em Portugal, um livro por-no-grá-fi-co infantil LGBTI, para ser usado nas escolas na intoxicação sexual das nossas crianças”, denuncia-se na legenda de uma publicação partilhada no Facebook, associada a um vídeo que mostra um livro, escrito em inglês, que seria destinado a crianças.

A polémica surge pelo facto de a alegada obra infantil, intitulada “Mom and Dad’s Swinger Party” (“A festa de ‘swing’ da mãe e do pai”, em português), apresentar uma narrativa em que os progenitores do narrador da história – que seria uma criança – organizavam eventos sociais que terminavam sempre em práticas sexuais que envolviam trocas de casais.

“Eles vêem alguns filmes, dão balões aos rapazes [passagem acompanhada de uma imagem que aparenta mostrar vários preservativos], toda a gente dorme cá em casa e faz muito barulho”, lê-se numa das passagens mais explícitas deste livro.

Mas será que se trata, de facto, de um livro destinado a crianças?

Não. Em causa está uma obra da autoria de Brad Gosse, que, segundo a informação publicada no seu website, é “um comediante que vive em Toronto, no Canadá”, que “começou a publicar os seus ‘livros infantis’ em 2019”. Contas feitas, até à data, “já publicou mais de 120 livros de humor negro”.

Porém, na página do autor na Amazon, onde os seus livros se encontram à venda, esclarece-se o verdadeiro propósito das suas obras: “Os livros de Brad são para adultos que gostam de humor negro, piadas inapropriadas e não se importam com o politicamente correto.”

O mesmo assegurou, em declarações à Reuters, o próprio Brad Gosse. “A piada é que nunca se leria isto a uma criança”, explicou o autor, notando ainda que existem pessoas que “ficam irritadas” quando se oferece um uso desta natureza a desenhos animados.

______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque