“Israel faz explodir o Parlamento de Gaza como parte da ‘guerra contra a Palestina’". Eis a legenda de um vídeo que se encontra a circular, desde meados de novembro, na rede social Facebook, em pleno contexto de hostilidades armadas entre o país liderado por Benjamin Netanyahu e o grupo militante palestiniano Hamas.

Nas imagens, que estão a ser partilhadas com legendas em várias línguas, vê-se o que aparenta ser uma forte explosão de um edifício branco, localizado numa zona de terreno arenoso.

Mas será mesmo verdade que este vídeo diz respeito, de facto, à explosão do parlamento de Gaza?

Em primeiro lugar, importa notar que, tal como reportado pelo The New York Times, com base em imagens de satélite, o edifício do parlamento palestiniano, sediado em Gaza, terá mesmo sido parcialmente destruído, após o exército israelita ter anunciado, a 14 de novembro, que tinha assumido o controlo do edifício. Segundo as imagens apresentadas pelo referido jornal, no dia 12 deste mês o edifício permanecia intacto. Porém, três dias depois, no dia 15, aparentava ter sido demolido.

Já no que toca ao vídeo aqui analisado, que viralizou nas redes sociais, a plataforma de geolocalização “GeoConfirmed” partilhou, através de uma publicação na rede social X/Twitter, as coordenadas do verdadeiro local onde esta explosão ocorreu: “31.458982, 34.440275”. E concluiu: “As IDF [em português, FDI, ou seja, as Forças de Defesa de Israel] demoliram um edifício em Juhor Ad Dik. Não é o edifício do parlamento de Gaza”.

Uma pesquisa através das ferramentas “Google Maps” e “Google Earth” comprova isso mesmo: introduzindo as coordenadas citadas, identificamos o mesmo edifício branco, localizado, de facto, na vila palestiniana de Juhor Ad Dik, a sul da cidade de Gaza. Localização essa que, na verdade, fica a mais de oito quilómetros de distância do parlamento palestiniano.

Aliás, com base nas imagens aéreas referentes à localização do Conselho Legislativo Palestiniano, vemos que estas não coincidem com as apresentadas no vídeo aqui analisado. A cúpula do parlamento - elemento altamente distintivo deste edifício - está claramente ausente das imagens virais. Esta zona é, além do mais, bem mais urbanizada do que o demonstrado no vídeo da explosão, o que sustenta ainda mais a tese de que as mesmas não representam, de facto, a sede do poder legislativo da Palestina.

O tema foi também alvo de análise por parte de outros órgãos de comunicação social, como a “Newtral” e a cadeia televisiva France 24.

_______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.