O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Vídeo mostra “acampamento” de imigrantes que pernoitam na rua em plena cidade de Lisboa?

Sociedade
O que está em causa?
Nos últimos tempos, têm circulado, nos meios de comunicação nacionais, imagens que dão conta das dificuldades que muitos imigrantes residentes em Portugal têm tido para fazer face ao custo das rendas atualmente praticadas no país. Este vídeo, captado nas proximidades da Igreja dos Anjos, em Lisboa, é apenas mais um exemplo.

“Está mesmo a ficar caótico as condições de como as pessoas estão a viver”, lê-se numa publicação partilhada na quarta-feira na rede social X/Twitter, que considera que o “que aconteceu nos últimos anos é uma catástrofe social”, fazendo referência ao impacto da imigração no país. 

A acompanhar tal consideração, surge um vídeo que aparenta mostrar um “acampamento” de imigrantes em plena cidade de Lisboa – mais concretamente, junto ao CNAIM – Centro Nacional de Apoio à Integração de Migrantes, segundo pode ver-se nas imagens, que foram igualmente partilhadas pelo Chega no TikTok.

“Tem que se pensar rapidamente nas regras de imigração para que quem venha, venha com contratos e garantia de que tem como se acomodar dignamente”, considera ainda o autor da publicação. 

Mas será que este vídeo ilustra, de facto, as condições em que muitos imigrantes têm pernoitado em plena cidade de Lisboa?

Primeiro que tudo, refira-se que o Centro Nacional de Apoio à Integração de Migrantes (CNAIM) Lisboa localiza-se na Rua Álvaro Coutinho, 14, bem perto da Igreja de Nossa Senhora dos Anjos. 

Segundo duas notícias (aqui e aqui) partilhadas em meados de abril pelo jornal Público, no largo da Igreja dos Anjos contabilizava-se, nesse altura, “cerca de uma centena de pessoas que têm pernoitado em tendas” no local “enquanto esperam respostas para os pedidos de regularização no país”. Na sequência dessa realidade, a Câmara Municipal de Lisboa teria iniciado uma operação, em conjunto com a PSP e a AIMA (Agência para a Integração, Migrações e Asilo), para identificar os indivíduos em causa.

Segundo revelou agora ao Polígrafo fonte oficial da Junta de Freguesia de Arroios, “essa situação da Igreja dos Anjos ainda se mantém” e está relacionada com a “ocupação da via pública por parte de cidadãos estrangeiros, alegadamente senegaleses e indianos”. 

Trata-se de um “assunto que está a ser tratado diretamente pela AIMA e pela Câmara Municipal de Lisboa”, em colaboração com outras entidades, como a “Junta de Freguesia”, a “Santa Casa da Misericórdia” e a “Segurança Social”, acrescentou a mesma fonte, que garantiu que estão a tentar ser encontradas “soluções” para a “situação daquelas pessoas acampadas na via pública”. Porém, notou que este “é um caso para a AIMA responder”, tendo remetido esclarecimentos adicionais para esse organismo. 

O Polígrafo pediu mais informação sobre o tema à AIMA, à Câmara Municipal de Lisboa e à PSP, mas não obteve resposta até à data de publicação do artigo. Ainda assim, confirma-se que o cenário retratado no vídeo apresentado é verdadeiro.

________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque