"Se queria que o jogo fosse disputado no Estádio do Dragão? É evidente que sim. E aqui ganhávamos. Este é que é o talismã". A declaração é de Pinto da Costa, à "Notícias Magazine", numa entrevista de 25 de novembro de 2021, a propósito do Portugal-Sérvia, disputado uma semana antes no Estádio da Luz, referente à última jornada da fase de grupos da qualificação para o mundial de futebol 2022 (no Qatar).

O presidente do FC Porto sublinhou então o contraste entre o resultado desse jogo (derrota 1-2 e consequente 2º lugar na classificação final do Grupo A, falhando o apuramento direto) e o que alegadamente se dizia sobre o simbolismo da Luz: “Vi escrito em vários jornais que a final com a Sérvia ia ser disputada no estádio-talismã da seleção, o Estádio da Luz. Eu acho é que é o talismã dos adversários da seleção. Mas para os senhores de Lisboa e da Federação a Luz é que é talismã."

Menos de um mês depois, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) marcava para o Estádio do Dragão o(s) jogo(s) do play-off para o Mundial 2022 em que Portugal vai participar. Hoje, dia 24 de março, disputa-se o primeiro de eventuais dois desafios (19h45, contra a Turquia).

O Estádio do Dragão é mesmo o talismã da seleção, conforme refere Pinto da Costa?

Construídos para o Euro 2004, os atuais estádios de Benfica, FC Porto e Sporting têm a mesma idade (inaugurados entre agosto e novembro de 2003), pelo que pode ser estabelecida uma comparação com termos temporais semelhantes.

O Polígrafo verificou os resultados da Seleção Nacional de Futebol A de seniores masculinos em todos os jogos oficiais (excluindo os particulares) nos estádios dos três clubes: fases de qualificação para os campeonatos da Europa e do mundo (grupos e play-off); fase final do Euro 2004 e Liga das Nações (fase de grupos e fase final).*

Este é o balanço de quase 18 anos da seleção principal de futebol nas “casas” de Benfica, FC Porto e Sporting:

Estádio da Luz (18 jogos)

12 vitórias (11 vitórias nos 90 minutos + vitória com Inglaterra nos penaltis em 2004)
3 empates
3 derrotas

Percentagem de vitórias – 67

Estádio do Dragão (10 jogos)

6 vitórias
3 empates
1 derrota

Percentagem de vitórias – 60

Estádio José Alvalade (9 jogos)

6 vitórias
2 empates
1 derrota

Percentagem de vitórias – 67

Constata-se, assim, que não há diferenças relevantes de performance da seleção nacional de futebol conforme o estádio onde joga. Se na Luz e Alvalade é onde se registam mais vitórias (67%), é no Dragão que Portugal menos perde (10%).

É, pois, falso que o “Dragão” seja talismã da seleção A, como afirmou o presidente do FC Porto. O desempenho de Portugal não sofre grandes oscilações entre os estádios dos chamados “três grandes” e até é no do FC Porto que a percentagem de vitórias é menor em jogos para competições oficiais.

____________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network