De um lado fica cor rosa, e do outro lado a cor azul, que falta de estética, já não se respeita a dignidade arquitectónica dos edifícios públicos! Importa também referir que o átrio principal ficou mais pequeno e perdeu a saída sul de acesso aos autocarros para que fosse permitido construir a receção e o novo acesso ao hotel!”, diz-se na publicação, partilhada no dia 16 de novembro.

Confirmam-se estas alterações à histórica estação ferroviária de Lisboa?

Contactada pelo Polígrafo, fonte oficial da Infraestruturas de Portugal (IP), garante que “encontra-se em curso a requalificação integral das fachadas exteriores e interiores do edifício de Santa Apolónia, tendo como um dos objetivos devolver ao edifício a cor que historicamente mais está associada a esta Estação Ferroviária”.

A estação vai, assim, voltar ao vermelho que tinha, antes de ter sido pintada de azul nos anos 90. As fachadas que se encontram sob intervenção são as da ala rio e corpo central da estação, que já foram pintadas “de modo a articular esta intervenção com a atual empreitada para a instalação de uma unidade hoteleira em Santa Apolónia”. Só no próximo ano é que vão ser concluídas as restantes ações de requalificação integral do edifício.

Em 2019, aprovou-se um contrato entre a IP Património e a 2NDROOM, Exploração Hoteleira, SA – empresa participada pela The House Ribeira Hotel, que faz parte do grupo SONAE – para exploração e instalação de uma unidade hoteleira. Estava, por isso, prevista a realização de obras de renovação na estação.

Tal como também já tinha sido anunciado pela empresa responsável pela gestão de infraestruturas rodoviárias, foi aprovado um protocolo com o Instituto Universitário de Lisboa e a Universidade Nova de Lisboa, “para a instalação de uma residência universitária na ala poente a custos controlados, que se encontra em fase de procedimento público, no âmbito do processo de requalificação global do edifício da estação de Santa Apolónia”.

E em relação aos acessos e ao funcionamento da estação ferroviária?

“O projeto em curso não interfere com as outras atividades da estação, quer na componente ferroviária, quer com o funcionamento da estação de metro, que se encontra parcialmente sob o edifício. Todos os espaços e acessos retomarão o normal funcionamento e dimensão após conclusão das obras”, conclui a IP.

Em suma, a publicação em questão é enganosa, uma vez que a estação ferroviária de Santa Apolónia vai ser pintada totalmente de vermelho, isto é, não vai ficar com as duas cores. Além disso, não vai haver alterações no funcionamento ferroviário nem nos acessos, pois as restrições são temporárias.

___________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Assina a Pinóquio

Fica a par de todos os fact-checks com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Recebe os nossos alertas

Subscreve as notificações do Polígrafo e recebe todos os nossos fact-checks no momento!

Em nome da verdade

Segue o Polígrafo nas redes sociais. Pesquisa #jornalpoligrafo para encontrares as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network