O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Esta imagem de boletim de voto no Chega rasgado demonstra “fraude” nas eleições legislativas?

Política
O que está em causa?
Na sequência do processo de voto antecipado nas legislativas que decorreu no domingo, 3 de março, surgiram nas redes sociais múltiplas denúncias de suposta "fraude eleitoral" com base em imagens de boletins de voto. Num dos casos mais recentes e partilhados viralmente, no X/Twitter, exibe-se um boletim rasgado, com um "voto no Chega" que terá ido "direto para o lixo".

Desde o último fim-de-semana, com a abertura das urnas no domingo (3 de março) para o voto antecipado nas legislativas, além da denúncia de André Ventura de que estaria em curso uma tentativa de “desvirtuar o resultado” das eleições legislativas, que a tese da pretensa “fraude eleitoral” tem vindo a ganhar força nas redes sociais.

Num tweet partilhado esta segunda-feira (4 de março) alega-se que há “fraude a decorrer” e que “estão a tentar roubar a eleição“. A publicação apela ainda a “muita atenção nas mesas de voto” e repartilha um outro tweet que, alegadamente, comprova essa mesma fraude.

“Este já era (e ninguém viu). Mais um voto do Chega direto para o lixo na minha mesa”, indica-se nessa publicação

em que se exibe mesmo um boletim de voto rasgado que atribuía o voto ao Chega.

Esta história é verdadeira?

Há elementos visuais que demonstram que o boletim de voto, ainda que possa ser real, não corresponde às eleições legislativas de 2024. Ou seja, não é atual.

Desde logo por constar do mesmo a candidatura do partido Movimento Alternativa Socialista (MAS), que em 2024 concorre apenas pelo círculo de Lisboa, além de surgir uma candidatura em nome próprio do CDS-PP que em 2024, como se sabe, concorre integrado na coligação Aliança Democrática, juntamente com o PSD e o PPM.

Mais, na versão atualizada (20 de fevereiro) das candidaturas apresentadas nos tribunais competentes, para integrarem os boletins de voto, o MAS foi impedido de integrar o círculo eleitoral de Lisboa, o único pelo qual tinha apresentado candidatura para participar nas legislativas de 10 de março.

Está a ser difundido nas redes sociais o suposto resultado de uma recente sondagem da Universidade Católica para as próximas eleições legislativas: 26,7% das intenções de voto para o PS, 25,2% para a AD e 24,6% para o Chega. Ou seja, um empate técnico entre os três, pois a margem de erro é de 2,8%. Verdadeiro ou falso?

O Tribunal Constitucional decidiu não admitir a candidatura depois de João Pascoal, “em nome da comissão executiva do MAS”, ter apresentado um requerimento em que alega que a candidatura “foi apresentada à revelia do partido, que deliberou não concorrer às próximas eleições”. Em causa está um conflito entre duas correntes internas sobre a liderança do partido.

Quanto ao CDS-PP o autor do tweet secundário – que dá origem à denúncia de “fraude a decorrer” – alega que o boletim é da “mesa de voto de emigrantes” e que “o PPD/PSD concorre sozinho”, fora da coligação Aliança Democrática. Mas o facto é que também esta alegação é falsa.

O PSD não concorre a solo em qualquer círculo eleitoral, mas sim integrado na coligação Aliança Democrática  – em todos os círculos eleitorais, incluindo Europa e Fora da Europa.

_______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Fact checks mais recentes