O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Escola básica em Quarteira instalou casas de banho mistas para crianças?

Sociedade
O que está em causa?
A denúncia surgiu em recente publicação no Facebook, com imagens da suposta casa de banho numa escola em Quarteira, Algarve, que tem "urinóis à esquerda" e "retretes à direita". Pelo que "as meninas podem sair da sua retrete e dar de caras com os meninos", alerta-se. Verdadeiro ou falso?

A situação estará a ocorrer “na Escola Básica da Fonte Santa – Quarteira (1.º Ciclo – 6 a 10 anos)” e as imagens retratam uma alegada “casa de banho mista” para essas crianças, pelo que se questiona: “Será possível que já haja pais a concordar com isto?”

Com “urinóis à esquerda” e “retretes à direita”, segundo descreve a autora da denúncia (num post de 5 de março no Facebook), essa casa de banho não assegura a privacidade das crianças, na medida em que “as meninas podem sair da sua retrete e dar de caras com os meninos de pilinha na mão e os meninos podem estar a fazer xixi e terem as meninas a cuscar“.

“Onde andam os pais destas crianças? Acham isto normal? Pobres crianças… Sem privacidade, expostas, erotizadas precocemente”, conclui-se na publicação em causa, exibindo três imagens: na primeira vê-se um sinal que parece indicar uma casa de banho mista; a segunda retrata urinóis ao lado de compartimentos individuais: e a última mostra apenas urinóis.

Esta denúncia tem fundamento?

Não. O Polígrafo contactou a Direção do Agrupamento de Escolas Dra. Laura Ayres, onde está integrada a Escola Básica da Fonte Santa, que desmentiu as alegações da denúncia e sublinhou que esta é apenas uma entre várias informações falsas que têm sido difundidas sobre esta matéria.

“Há aí grupos que querem perturbar a paz pública“, acusou, embora ressalvando não saber “qual é o objetivo”.

Segundo garantiu a Direção, existe “uma casa de banho do primeiro ciclo para meninos e depois existe outra casa de banho para meninas”. Quanto à sinalética apresentada no post, com uma figura representativa do sexo masculino e outra do sexo feminino, corresponde a uma casa de banho mista que está “na zona dos professores” e destina-se a “pessoas adultas”. Além disso, essa “casa de banho é individual”, ou seja, sem espaços compartilhados.

A autora da publicação indicou ainda que lhe terá sido dito que a escola esteve “em obras há pouco tempo”. No entanto, a Direção do referido Agrupamento de Escolas também desmentiu essa alegação.

Na resposta ao Polígrafo, a Direção salientou que os encarregados de educação já foram informados, tendo até sido enviados “desmentidos particulares para algumas pessoas”, mas a desinformação continua a circular e está “a extrapolar todos os limites”. Por esse motivo, o Agrupamento indicou que iria emitir um comunicado de forma a deixar claro que não existem casas de banho mistas para crianças naquela escola. O qual foi mesmo publicado às 13h do dia 13 de março no Facebook.

“Considerando os inúmeros pedidos de esclarecimento que têm chegado a esta Direção relativamente a imagens que circulam nas redes sociais, alegadamente de casas de banho mistas, sem qualquer privacidade, na Escola Básica da Fonte Santa, na zona do 1.º ciclo, temos a esclarecer: as imagens e o texto que foram apresentados não refletem a realidade das instalações sanitárias da Escola Básica da Fonte Santa 1.º ciclo; a sinalética mostrada na fotografia não corresponde à da casa de banho apresentada; As demais fotografias retratam uma das casas de banho afetas aos meninos, exclusivamente frequentada por estes; As meninas possuem casas de banho separadas, exclusivamente destinadas a elas e sem urinóis”, informa-se no comunicado.

______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Fact checks mais recentes