A mensagem começou a circular nas redes sociais, através de grupos de WhatsApp, na segunda semana de março, e alega mostrar um texto, em verso, do escritor francês Michel de Nostredame (Nostradamus), datado do ano de 1555: "E no ano dos gémeos (20 20) / surgirá uma rainha (corona-corona) / desde o oriente (China) / que estenderá a sua praga (vírus) / vinda dos seres da noite (morcegos) / à terra das sete colinas (Itália) / transformando o pó (morte) / aos homens do crepúsculo (anciões) / para culminar na sombra da ruína (fim da economia mundial)".

A plataforma de verificação de factos "E-farsas" procurou estes versos na obra de Nostradamus, mas não encontrou. Outra plataforma, a espanhola "Maldito Bulo", chegou à mesma conclusão, garantindo aliás que a palavra "praga" não consta de nenhuma das profecias ou demais textos publicados por Nostradamus.

Por seu lado, a plataforma "Fato ou Fake" revela que o texto em causa - falaciosamente identificado como uma previsão do futuro da autoria de Nostradamus - foi originalmente publicado no dia 14 de março de 2020, pelo cartoonista argentino Cristian Dzwonik, conhecido como Nik e criador do gato Gaturro, uma personagem satírica.

A publicação original estava escrita em língua castelhana, mas foi traduzida para várias outras línguas, inclusive a portuguesa, e colocada a circular no WhatsApp e noutras redes sociais. Na página de Nik no Facebook verifica-se que a publicação já foi apagada, após ter sido denunciada como origem de fake news por diversas plataformas de verificação de factos.

Michel de Nostredame, conhecido como Nostradamus, foi um médico e escritor francês que viveu entre 1503 e 1566 e destacou-se pelas suas premonições mais ou menos apocalípticas do futuro. A sua obra mais famigerada seria precisamente "As Profecias", um livro composto por versos agrupados em quadras e organizados em conjuntos de cem - as centúrias.

Esta não é a primeira vez que se propagam mensagens falsas nas redes sociais apresentadas como se fossem previsões de Nostradamus. A plataforma "E-farsas" já desmentiu várias publicações relacionadas com o escritor francês.

***

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações “Falso” ou “Maioritariamente Falso” nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network