"Envio da Declaração e processo de execução de dívidas. Verifique e retorne o quanto antes para validar suas respetivas contribuições", lê-se num email que têm chegado a várias caixas de correio eletrónico.

Por cima do texto encontra-se o logótipo da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), por baixo está um link no qual é sugerido verificar e validar as contribuições e o assunto do email é: "Atenção: Dívidas em processo de Execução. Confirmação nr. xxxxxxx."

O email é autêntico?

Não. Há vários fatores que indicam que se trata de correspondência fraudulenta. Primeiro, apesar de o nome do remetente ser "FinancasExpress" que poderia induzir o destinatário em erro, o endereço de email do remetente não tem nenhuma ligação à AT.

O link para o qual o email remete o processo também não tem nenhuma ligação à AT. Essa hiperligação parece direcionar o destinatário para um download, como se pode depreender da análise do endereço, provavelmente de um software malicioso, vulgarmente denominado de vírus, para infetar o dispositivo em que é aberto (computador, tablet ou smartphone). O possível objetivo do remetente será ter acesso aos dados do destinatário, incluindo dados bancários. Há ainda pequenos erros ortográficos como falhas de acentuação.

  • Estão a ser remetidas mensagens fraudulentas em nome da EDP para cobrança de "valores em dívida"?

    O alerta tem sido dado nas redes sociais, através de várias publicações que denunciam casos de pessoas que receberam mensagens nos telemóveis, em nome da EDP, instando a pagar "valores em dívida" (para evitar "corte" ou "suspensão" de eletricidade) através de uma referência de Multibanco. O Polígrafo confirma que essas mensagens não foram enviadas pela EDP e são fraudulentas. Não se deixe enganar.

Na página oficial no Facebook, a Autoridade Tributária e Aduaneira expôs a situação. "#Alerta – emails fraudulentos. Alguns contribuintes têm recebido emails, supostamente provenientes da AT, nas quais é pedido que acedam ao link que indicam para, alegadamente, validar contribuições. Se foi o seu caso, apague essas mensagens. Trata-se de crime informático pelo que aconselhamos a leitura atenta do folheto informativo", lê-se na publicação.

Nesse folheto informativo, a AT recomenda a utilização de um antivírus, desconfiar de links e ficheiros enviados por correio eletrónico e não abrir, não responder, não clicar em links e não descarregar ou abrir ficheiros em caso de dúvida. "Apague as mensagens de origem desconhecida ou de conteúdo duvidoso", aconselha.

Conclui-se que os emails não são enviados pela Autoridade Tributária e Aduaneira e que se trata de um crime informático. Deverá trata-se de um caso de phishing.

____________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Pimenta na Língua
International Fact-Checking Network