"Os políticos e as fraldas devem ser mudados frequentemente e pela mesma razão." A frase destacada tem sido regularmente atribuída a Eça de Queiroz nas redes sociais. De acordo com a história que circula, a citação teria sido retirada de um conto do autor português.

A mensagem poderia ter o seu quê de verosímil, tendo em conta que Eça de Queiroz e Ramalho Ortigão publicaram entre 1871 e 1872 várias crónicas mensais, mais tarde reunidas num livro intitulado d'As Farpas. Nesta obra criticava-se a era oitocentista em algumas das suas vertentes: política, religiosa e social. Segundo Maria Filomena Mónica, socióloga e investigadora da obra do autor, as Farpas são fruto "da raiva sentida por uma nova geração diante da burguesia que se instalara no poder após a Regeneração de 1851".

farpas

Numa notícia publicada pela Lusa em 2018, a socióloga afirma que "o país de 2018 não é igual ao de 1871, mas reconheço que existem traços que permitem aos meus compatriotas reverem-se no que Eça escreveu, o que é particularmente notório no caso dos políticos" adiantando que "se os portugueses ainda gostam de ler «As Farpas», é por nelas encontrarem a raiva e o despeito que sentem, sempre sentiram, em relação à classe dirigente nacional", conclui. Não é, portanto, de admirar, que mensagem destas sejam partilhadas associadas a escritores como Eça de Queiroz e Ramalho Ortigão.

Confirma-se então que a frase é do autor de Os Maias?

Não. A plataforma de fact-checking brasileira Boatos.org já tinha verificado esta informação e constatou que a citação atribuída ao escritor português estava também associada a outros autores. Numa plataforma de pesquisa de citações em inglês refere-se que a frase foi atribuída também a Mark Twain e Benjamin Franklin, entre muitos outros escritores, músicos e atores.

De facto, Robin Williams, no filme "O Homem do Ano", proferiu a frase: "Lembrem-se disto, senhoras e senhores. É uma frase antiga, anónima - que os políticos são muito parecidos a fraldas. Devem ser mudados frequentemente e pela mesma razão. Lembrem-se disso da próxima vez que forem votar."

Na plataforma norte-americana de fact-checking Checkyourfact é mencionado que alguns etimologistas tentaram localizar a origem da citação, descobrindo algumas referências dos anos 80 e 90. Porém, não há qualquer evidência de que Mark Twain, Benjamin Franklin ou mesmo Eça de Queiroz a tenham proferido.

Em suma, a informação de que o autor português terá dito a frase em questão é falsa e não tem qualquer sustentação factual. Citações deste género são geralmente partilhadas nas redes sociais quando há uma insatisfação generalizada da população em relação aos dirigentes do país.

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network