"AUTOvoucher é, provavelmente, a designação mais falaciosa de sempre. Não se aplica necessariamente a despesas relacionadas com um automóvel, não tem nada a ver com o IVA suportado e não incorpora um crédito em futuras compras nem vale como recibo", escreveu Rui Rocha, recém-eleito deputado à Assembleia da República pelo partido Iniciativa Liberal, em tweet publicado no dia 14 de março.

Este é apenas um exemplo entre várias publicações nas redes sociais, ao longo dos últimos dias, apontando para o que parece ser uma forma de obter o reembolso do programa AUTOvoucher sem ter que abastecer o automóvel de gasolina ou gasóleo. Há mesmo quem alegue, em tom de chacota, que basta comprar "cinco quilogramas de chicletes na bomba 5" para receber o apoio monetário em causa.

Ora, já no final do ano passado e face ao aumento dos preços dos combustíveis e do seu "impacto no rendimento dos cidadãos e das famílias", o Governo decidiu "atribuir um apoio financeiro aos consumos em postos de abastecimento de combustíveis, nos meses de novembro de 2021 a março de 2022, num total de 10 cêntimos por litro de combustível (50 litros/mês, num total de cinco euros)".

Em março deste ano, o benefício foi aumentado de cinco para 20 euros por mês. No que concerne a novos aderentes, este mês será creditado no saldo AUTOvoucher um benefício de 20 euros. Aos aderentes anteriores será creditado um benefício adicional até perfazer os 20 euros relativos a março.

Mas o que é necessário fazer para obter o reembolso?

De acordo com a informação divulgada no portal do programa, "o consumidor realiza o pagamento total num posto de combustível aderente, utilizando um cartão elegível" e "o saldo AUTOvoucher disponível será reembolsado na conta bancária associada ao NIF - Número de Identificação Fiscal do consumidor".

  • Preços dos combustíveis na Madeira são muito inferiores aos do território continental?

    No Facebook aponta-se para uma diferença significativa nos preços dos combustíveis que são praticados na Região Autónoma da Madeira em comparação com o território continental, acentuada pelos mais recentes aumentos (apenas 2 cêntimos na Madeira, 14 cêntimos no Continente) que entraram em vigor na segunda-feira, dia 7 de março. Verificação de factos.

Mas o pagamento tem que ser necessariamente relativo a combustíveis? Não.

A verdade é que não é preciso abastecer o automóvel para obter o reembolso. Pode utilizar um jerricã, mas também pode beber um café, comprar chicletes ou qualquer outro tipo de produtos, até mesmo jornais e revistas.

"Quando o consumidor proceda a um pagamento em aquisições de bens e serviços realizadas aos comerciantes referidos no Artigo 4.º [Postos de Combustível], através de um meio de pagamento elegível pela entidade operadora do sistema e no montante mínimo a definir por despacho do membro do Governo responsável pela área das Finanças, parte do montante do pagamento é suportado nos termos dos números seguintes, através do benefício 'AUTOvoucher' que esteja disponível", estabelece-se no Decreto-Lei n.º 92-A/2021 que regulamenta o programa.

O referido consumo mínimo, segundo confirmou o Ministério das Finanças ao jornal "Público", é de apenas um cêntimo.

_____________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network