Não é a primeira vez que o líder norte-americano vem a público reclamar os louros por ter previsto o ataque terrorista às torres gémeas. Donald Trump garante que dois anos antes do atentado, já tinha alertado os militares para o risco que Osama bin Laden representava para o país e a sua segurança.

O presidente dos Estados Unidos, despertou a indignação de vários militares, no início deste mês, ao questionar o almirante da Marinha norte-americana Bill McRaven sobre o porquê de ter demorado tanto tempo para capturar o terrorista saudita. A questão fez estalar o verniz nas relações entre a Casa Branca e as forças militares norte-americanas e, no dia seguinte, Donald Trump veio remedir-se levantando uma outra dúvida, dizendo que ele próprio já tinha previsto os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001.

“É claro que devíamos ter capturado Osama bin Laden muito antes do que fizemos. Eu apontei para ele no meu livro ANTES do ataque ao World Trade Center”, escreveu o presidente na sua conta oficial do Twitter, numa afronta ao almirante Bill McRaven, que acusou de ser “fã de Clinton. “O presidente Clinton notoriamente perdeu o seu palpite. Nós pagamos ao Paquistão biliões de dólares e eles nunca nos disseram que ele [Osama bin Laden] estava a viver lá. Tolos!”, sustentou.

Esta não foi a primeira vez que o republicano afirmou ter previsto os ataques terroristas que levaram à morte de quase 3 mil pessoas nos Estados Unidos. Em novembro de 2015, num comício em Knoxville, no estado do Tennessee, disse que tinha escrito num dos seus livros, chamado “The America We Deserve” [A América que merecemos], que “Osama bin Laden viria e causaria danos” e que ninguém acreditou nele.

Donald Trump repetiu a afirmação numa entrevista em dezembro de 2015, acrescentando que “ninguém realmente sabia quem [Osama bin Laden] era” antes dos ataques e que os militares não tinham dado importância ao alerta que fazia no seu livro. “Eu disse que era melhor ter cuidado com Osama bin Laden”, disse ao apresentador televisivo Alex Jones. “Estava a dizer coisas realmente desagradáveis ​​sobre o nosso país e o que ele queria fazer com ele. E eu escrevi no livro [em] 2000 - dois anos antes do World Trade Center cair. Agora as pessoas estão a ver isso e a dizer: ‘Trump previu Osama bin Laden' - o que de facto é verdade”.

Mas será que é mesmo verdade?

Osama bin Laden é realmente mencionado no livro “The America We Deserve” [A América que merecemos], que publicou em 2000. No entanto, em momento algum Donald Trump diz especificamente que o antigo líder da al-Qaeda iria causar danos aos Estados Unidos, nem que os militares deveriam capturar o terrorista enquanto era tempo. Ao invés disso, o nome de Osama bin Laden aparece aleatoriamente numa crítica que o magnata nova-iorquino lança à política de segurança nacional da Administração Clinton:

“Em vez de uma crise iminente, enfrentamos uma série desconcertante de crises menores, pontos de fulgor, confusões e pontos quentes. Não estamos a jogar xadrez para acabar com todos os outros. Estamos a jogar xadrez de torneio - um mestre contra muitos rivais. Um dia, estamos todos seguros de que o Iraque está sob controlo, os inspetores da ONU fizeram o seu trabalho, está tudo bem. No dia seguinte, o bombardeio começa. Um dia é-nos dito que uma figura sombria sem endereço fixo chamado Osama bin Laden é o inimigo público número um, e os caças-jato dos EUA devastam o seu acampamento no Afeganistão. Ele escapa de, e algumas semanas depois, é sobre um novo inimigo e uma há nova crise. Lidar com muitos países diferentes ao mesmo tempo pode exigir muitas estratégias diferentes. Não há desculpa para a natureza casual da nossa política externa”. 

Outro facto que em que falha a suposta previsão de Donald Trump é em prever algo de novo. Antes do republicano, as forças militares norte-americanas já estavam cientes da ameaça que o líder terrorista representava para o país. Em junho de 1999 – antes da publicação do livro de Donald Trump – as autoridades disseram ao canal de televisão CNN que “o suposto terrorista Osama bin Laden podia estar em estágios finais” do planeamento de um ataque contra os Estados Unidos.

O que Donald Trump alertou (e bem) foi para a possibilidade de os Estados Unidos estarem em "perigo" de um ataque terrorista em larga escala. No entanto, ele não previu que Osama bin Laden seria o cérebro por trás desse tal ataque.

“Estou realmente convencido de que estamos em perigo de sofrer aquele tipo de ataques terroristas que farão o bombardeio do Trade Center [em 1993] parecer que foram crianças a brincar com fogo-de-artifício. Nenhum analista sensato rejeita essa possibilidade, e muitos deles, como eu, não estão se a questionar-se sobre isso, mas sim quando tal acontecerá”, escreveu.

Tendo em conta estas informações, afirmar que Trump previu o ataque às torres gémeas é...

Assina a Pinóquio

Fica a par de todos os fact-checks com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Recebe os nossos alertas

Subscreve as notificações do Polígrafo e recebe todos os nossos fact-checks no momento!

Em nome da verdade

Segue o Polígrafo nas redes sociais. Pesquisa #jornalpoligrafo para encontrares as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network