O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Donald Trump está de volta ao Twitter e agradece a Elon Musk?

Internacional
Este artigo tem mais de um ano
O que está em causa?
Propagou-se viralmente nas redes sociais a imagem de um suposto "tweet" de Donald Trump que terá assim reativado a sua página no Twitter - após várias suspensões até ao banimento permanente - e logo na primeira mensagem agradecido ao empresário Elon Musk que acaba de concretizar a aquisição dessa rede social. Verdadeiro ou falso?

Obrigado Elon Musk, estou de volta!” Esta terá sido a mensagem publicada por Donald Trump, ex-Presidente dos EUA, a 9 de outubro, no Twitter, rede social que o tinha banido permanentemente em janeiro de 2021 (dois dias após uma tentativa de golpe de Estado nos EUA, traduzida no “assalto ao Capitólio” em Washington DC), na sequência de várias suspensões.

E não deixou de agradecer desde logo ao empresário Elon Musk que acaba de concretizar a aquisição do Twitter por cerca de 44 mil milhões de euros, sugerindo assim que o fundador da SpaceX e da Tesla – entre outras empresas – terá sido o responsável pelo seu regresso aos tweets, a principal forma de comunicação política de Trump que, depois do banimento, chegou mesmo a lançar uma nova plataforma – a “Truth Social” – parecida com o Twitter.

O problema é que o tweet em causa tem origem numa conta – “@realDonJTru” – que não corresponde à página oficial de Trump. Na realidade, Trump continua banido do Twitter, pelo menos até ao momento de publicação deste artigo.

A verdadeira página oficial de Trump – “@realDonaldTrump” – continua a não estar acessível na rede social.

Esta publicação também foi analisada pela “PolitiFact”, plataforma norte-americana de fact-checking, que chegou à mesma conclusão, sublinhando aliás que Musk ainda não tinha concretizado a compra do Twitter (na altura em que surgiu o tweet falso de Trump) e ainda não teria poder ou capacidade de reverter o banimento de Trump ou qualquer outro utilizador da rede social.

Em causa está uma suposta isenção de impostos aplicada à propriedade do "Trump National Golf Club Bedminster", situado em New Jersey, EUA, onde este ano foi enterrada a falecida Ivana Trump, ex-mulher de Donald Trump, junto ao "buraco número um" do campo. Nas redes sociais aponta-se para uma relação de causa/efeito entre os dois factos.

De qualquer modo, é verdade que Musk já criticou a decisão do Twitter de banir pessoas, exceto em situações de contas de spam ou “aqueles que incitam explicitamente à violência“.

Mais recentemente, em maio de 2022, o empresário comprometeu-se mesmo a reverter o banimento de Trump, dizendo que foi “uma má decisão ao nível moral, para ser claro, e uma extrema parvoíce“.

______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Fact checks mais recentes