Manifestantes pró-Trump invadiram esta quarta-feira o Capitólio dos Estados Unidos, onde se reúne o Congresso, manifestando-se contra os resultados das eleições presidenciais norte-americanas de 2020 que deram a vitória ao candidato do Partido Democrata, Joe Biden. Enquanto o Congresso validava os resultados eleitorais, vários apoiantes de Donald Trump romperam o dispositivo policial montado e entraram no edifício.

Apesar de demorada, a reação do ainda Presidente dos Estados Unidos chegou num vídeo de cerca de um minuto que foi partilhado no Twitter, no Youtube e no Facebook, sendo posteriormente eliminado por violar as normas das referidas redes sociais. Posteriormente, vários internautas garantiram que Trump não só não tinha criticado os manifestantes, como tinha expressado palavras de afeto e apoio. 

Confirma-se que Donald Trump disse que "amava" os manifestantes que invadiram o Capitólio?

Ainda antes de ter sido removido, a Snopes, plataforma de verificação de factos norte-americana, conseguiu fazer o download do vídeo e transcrever as afirmações do Presidente norte-americano. “Eu conheço a vossa dor. O vosso sofrimento. Nós tivemos uma eleição que nos foi roubada. Foi uma eleição esmagadora e todos sabem isso, especialmente os do outro lado. Mas têm de ir para casa agora. Precisamos de paz. Precisamos de lei e ordem. Temos de respeitar o nosso grande povo com lei e ordem. Não queremos ninguém magoado. É um período de tempo muito difícil. Nunca houve um tempo como este, em que tal coisa aconteceu e eles nos pudessem tirar isto a todos. De mim, de vocês e do nosso país", começou por dizer o ainda líder da Casa Branca.

Trump prosseguiu então com as acusações e deixou o seu apoio claro e afetuoso aos manifestantes. “Esta foi uma eleição fraudulenta, mas nós não podemos jogar o jogo dessas pessoas. Precisamos de ter paz. Por isso, vão para casa. Nós amamo-vos, vocês são muito especiais. Vocês viram o que acontece. Vocês viram a forma como os outros são tratados que são tão maus e tão cruéis. Eu sei como vocês se sentem. Mas vão para casa e vão para casa em paz”, concluiu.

Em resposta a este e outros tweets do Presidente do Estados Unidos, o Twitter apagou três posts e suspendeu a conta oficial de Trump (@realDonaldTrump) por 12 horas. “Se os tweets não forem removidos, a conta permanecerá fechada”, explicou a rede social.

A mesma decisão foi tomada por outras redes sociais e, esta quinta-feira, Mark Zuckerberg anunciou que foi decidido manter a suspensão das contas de Facebook e Instagram do presidente cessante "por tempo indeterminado". A decisão vai durar pelo menos até que seja concluída a pacífica transição de poder" para a administração Biden, marcada para 20 de janeiro.

_______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network