No Twitter, a 22 de junho, Miguel Baumgartner, outro dirigente do CDS-PP, denunciou o sucedido, monstrando o comentário que João Pedro Dias publicou na página do banco Santander no Facebook: "Um bom motivo para deixar de ser cliente. Que fiquem com os 'gays'".

De acordo com Baumgartner, "o cavalheiro que fez o 'comentário' à publicação do Santander é Conselheiro Nacional do CDS-PP e tem responsabilidades políticas, já para não falar das morais". Nesse sentido, prossegue: "Eu, como dirigente do CDS-PP, como militante e como cidadão, não posso tolerar este tipo de comentário. E tenho de o dizer publicamente, que João Pedro Dias não representa o CDS-PP, não representa o pensamento dos seus militantes nesta matéria. E não pode continuar como dirigente do partido após esta atitude".

"Não podemos cobrar moralidade aos outros e deixar que dentro da nossa casa (partido) existam pessoas intolerantes, homofóbicas e sem qualquer tipo de urbanidade. Não é com estas pessoas que o CDS-PP fará o seu caminho dentro da direita moderada", defendeu Baumgartner.

O comentário em causa não apenas é autêntico como permaneceu visível na publicação do banco Santander (datada de 21 de junho) pelo menos até ao dia 22 de junho.

Quanto à identidade do autor do comentário, o Polígrafo contactou Baumgartner, dirigente do CDS-PP (conselheiro nacional em substituição), que reiterou a informação veiculada no tweet: João Pedro Dias, autor do comentário homofóbico, "foi eleito conselheiro nacional, no último Congresso do CDS-PP, na Lista A, afeta à candidatura do presidente Francisco Rodrigues dos Santos".

De facto, João Pedro Dias é indicado como membro do Conselho Nacional do CDS-PP (vogais eleitos em Congresso) na página do partido, no âmbito da Lista A (pode conferir aqui).

Questionado pelo Polígrafo sobre a atitude do dirigente, o CDS-PP recusou-se a fazer qualquer comentário, alegando estar em causa uma conta de Facebook que, mesmo sendo de um membro do partido, é pessoal e particular. Também o próprio João Pedro Dias optou por ficar em silêncio, apesar das várias tentativas de contacto por parte do Polígrafo.

Em conclusão, é verdade que um dirigente do CDS-PP reagiu a uma imagem publicada pelo banco Santander, que assinala o Mês do Orgulho LGBTI, com o comentário que voltamos a transcrever: "Um bom motivo para deixar de ser cliente. Que fiquem com os gays".

___________________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network