“O próximo projeto de Halyna Hutchins era um documentário sobre as redes de pedofilia em Hollywood” é o título de uma publicação que se tornou viral nos últimos dias. Ao entrar no link para a suposta “notícia”, o leitor depara-se com o título, acompanhado por uma imagem da diretora de fotografia. Não é apresentado nenhum texto explicativo nem qualquer informação adicional e apenas no final da página pode ler-se, no canto inferior direito, um aviso: “O artigo principal é falso. Crie a sua própria notícia falsa”.

Halyna Hutchins morreu no passado dia 22 de outubro depois de ter sido baleada acidentalmente pelo ator Alec Baldwin durante as filmagens de “Rust”. Desde esse dia, têm sido inúmeras as notícias sobre o que se passou, verdadeiras e falsas. No caso desta "notícia" viral, a informação foi prontamente desmentida por um dos agentes de Halyna Hutchins, que garante à Agence France Presse que a diretora de fotografia não tinha qualquer ligação a projetos de documentários. A publicação foi também verificada pelos fact checkers da "Lead Stories" e pelo "Aos Fatos".

Também não existe qualquer referência sobre este projeto no site de Halyna Hutchins, nas suas redes sociais, ou na sua página de IMDB. Segundo esta última plataforma, a diretora de fotografia trabalhou apenas em dois documentários: “Singularity Song” (2017) e “(re)UNITE” (2018)

Recorde-se que Halyna Hutchins morreu depois de ter sido baleada pelo ator Alec Baldwin, durante a rodagem do filme “Rust”. O ator terá disparado acidentalmente uma arma que seria usada como adereço do filme, mas que afinal estava carregada com munições reais. O tiro atingiu a diretora de fotografia e o realizador Joel Souza. Halyna Hutchins foi transportada para o hospital, mas acabaria por não sobreviver.

____________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assina a Pinóquio

Fica a par de todos os fact-checks com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Recebe os nossos alertas

Subscreve as notificações do Polígrafo e recebe todos os nossos fact-checks no momento!

Em nome da verdade

Segue o Polígrafo nas redes sociais. Pesquisa #jornalpoligrafo para encontrares as nossas publicações.
Pimenta na Língua
International Fact-Checking Network