O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Dia Nacional da Visibilidade Trans escolhido de propósito para que coincidisse com a Páscoa?

Sociedade
O que está em causa?
Nas redes sociais critica-se o Bloco de Esquerda (BE) por causa de um vídeo sobre o Dia Nacional da Visibilidade Trans. Alega-se que esta comemoração "no dia mais importante para os cristãos de todo o Mundo" revela falta de respeito e que é por isso que o BE vai "desaparecer nas próximas eleições". Mas será que a data foi escolhida de forma a coincidir com a Páscoa?
© Agência Lusa / António Cotrim

Comemorou-se este ano, pela primeira vez em Portugal, o Dia Nacional da Visibilidade Trans a 31 de março, coincidindo com o domingo de Páscoa e na rede social X/Twitter critica-se essa celebração simultânea através de um tweet em que também se culpa o Bloco de Esquerda (BE) pelo sucedido.

“O ano tem 365 dias… e vão comemorar isto no dia mais importante para os cristãos de todo o mundo… É por isso que vocês vão desaparecer nas próximas eleições… quem não respeita não merece respeito…”, destaca-se num tweet de dia 31 de março.

O tweet integra outro do BE – e que motiva a acusação – em que Júlia Pereira, ativista transexual que se candidatou por Santarém nas listas do BE às legislativas, “destaca a importância da história e lutas das pessoas trans” num vídeo de pouco mais de um minuto.

Mas será que a escolha do Dia Nacional da Visibilidade Trans teve alguma coisa que ver com a Páscoa?

Não. O Dia da Visibilidade Trans começou a ser celebrado este ano em território nacional depois de a data ter sido aprovada na Assembleia da República em julho de 2023 com os votos a favor do PS, Iniciativa Liberal, PCP, BE e dos deputados únicos do PAN e do Livre. No entanto, a celebração já ocorre internacionalmente desde 2009 precisamente no dia 31 de março, quando foi criado pela ativista trans norte-americana Rachel Crandall contra a falta de reconhecimento das pessoas trans dentro da própria comunidade LGBTI.

A data foi criada também pelo facto de a única efeméride reconhecida a esta comunidade ser o Dia Internacional da Memória Trans, pelas pessoas trans assassinadas.

Já quanto à celebração cristã, a data em que se celebra o Domingo de Páscoa, ou Domingo de Ressurreição, é móvel e depende do calendário da Igreja Católica. Ou seja, não acontece sempre num dia fixo, mas sim no o primeiro domingo depois da lua cheia que se segue ao equinócio da primavera, seguindo uma “tradição que remonta ao século IV e implica cálculos astronómicos”, como aponta a agência Ecclesia.

Portanto, sim, este ano o Dia Nacional da Visibilidade Trans coincidiu com o domingo de Páscoa, mas tratou-se de uma coincidência. A celebração cristã não é uma data fixa como é o caso do Dia da Visibilidade Trans que já existia, assinalado no calendário a 31 de março, desde 2009.

________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Fact checks mais recentes