"Em 2021, a despesa de funcionamento do Estado francês foi de 426,7 mil milhões de euros, para um défice orçamental de 170,7 mil milhões de euros. Ou seja, exatamente 40% da despesa foi financiada através do recurso à dívida, que atinge em finais de 2021 os 2.145 mil milhões de euros", comenta-se num post de 25 de julho que difunde o gráfico em causa, remetido ao Polígrafo para verificação de factos.

De acordo com os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), "em 2021, o valor nominal da despesa pública aumentou 3,0% face ao ano anterior, atingindo 101,7 mil milhões de euros, representando 48,1 % do PIB (-1,2 p.p. que em 2020). Assim, em 2021, a despesa pública superou, pela primeira vez, 100 mil milhões de euros, em resultado do crescimento das suas principais rubricas: remunerações (4,0%); consumo intermédio (8,2%); e prestações sociais (2,8%)".

"O investimento subiu 16,9% (mais 755 milhões de euros que em 2020), depois de já ter aumentado 22,9% em 2020. Em contrapartida, os encargos com rendimentos de propriedade (que correspondem sobretudo a juros pagos) diminuíram 613 milhões de euros (-10,6%), relativamente a 2020, mantendo-se a trajetória marcadamente descendente desta despesa desde 2015. As despesas com subsídios, transferências correntes e de capital, que tinham registado uma forte subida em 2020, como consequência das medidas de política económica tomadas para minorar o impacto da pandemia de Covid-19, mantiveram em 2021 um nível anormalmente elevado, mas diminuindo 1,3% face ao ano anterior", informa o INE.

"Em 2021, o peso da despesa pública em relação ao PIB foi 48,1% em Portugal, inferior em 4,3 pontos percentuais ao valor da área do Euro. Contudo, (...) se a comparação for feita com a média simples dos pesos da despesa no PIB dos vários países da área do Euro, Portugal apresenta valores próximos nos últimos quatro anos. Note-se que, desde que Portugal concluiu o Programa de Assistência Económica e Financeira, em maio de 2014, o peso da despesa pública no PIB tem sido sempre inferior ao conjunto de países da área do Euro. Do ponto de vista da classificação económica da despesa pública, as duas maiores componentes foram as prestações sociais e as remunerações pagas (em 2021, representavam 40,7% e 24,5% da despesa total, respetivamente)", destaca-se no boletim "Estatísticas da Despesa Pública - 2021".

De resto, consultando os dados do Eurostat verificamos que apesar de representar quase metade do PIB (48,1%), a despesa pública de Portugal em 2021 manteve-se abaixo da média da União Europeia que alcançou então o nível de 51,5%.

No topo da tabela, confirmando a alegação do post sob análise, sobressai a França que apresenta o mais elevado rácio de despesa pública entre todos os 27 Estados-membros da União Europeia, ao nível de 59,2% do PIB no ano passado.

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
International Fact-Checking Network