O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Deputados do BE partilharam “fake news” sobre crianças de 10 anos a trabalhar num McDonald’s nos EUA?

Política
Este artigo tem mais de um ano
O que está em causa?
"Esta malta do BE já parava com as fake news", alerta um utilizador no Twitter, remetendo para um "post" de Pedro Filipe Soares. O deputado do Bloco de Esquerda partilhou uma notícia da CNN para criticar o liberalismo económico: "Crianças de dez anos trabalhavam sem receber num McDonald's de Louisville até de madrugada". O crítico acusa o BE de propagar desinformação, já que, afinal, as crianças "eram filhos de funcionários". Tem razão?

“Crianças de 10 anos foram encontradas a trabalhar num McDonald’s em Louisville até às duas da manhã”. A notícia da CNN com este título está a ser partilhada no Twitter.

O deputado do Bloco de Esquerda, Pedro Filipe Soares, divulgou o artigo recorrendo à seguinte legenda: “Dirá a Iniciativa Liberal que é empreendedorismo, que no coração do capitalismo a liberdade é o direito supremo. Só que não.” A também deputada bloquista, Joana Mortágua, fez um retweet do post.

[twitter url=”https://twitter.com/PedroFgSoares/status/1653770733359644672/photo/1″/]

Entretanto, em resposta aos deputados, um utilizador garante que foi ler melhor a notícia. “Porque como podem deduzir não faz sentido nenhum ter crianças de dez anos a trabalhar num Mc’Donalds, tanto não faz sentido que diz na notícia que são filhos de funcionário, esta malta do BE já parava com as fakenews“.

Analisemos então o conteúdo da notícia da CNN em causa, que pode consultar aqui. A informação foi divulgada no dia 3 de maio, com base num comunicado emitido pelo Departamento do Trabalho dos EUA. No documento revelava-se que os inspetores “encontraram dois trabalhadores de 10 anos num restaurante McDonald’s de Louisville”. Esta foi uma de “muitas violações das leis trabalhistas federais cometidas por três operadores de franquia do McDonald’s do Kentucky”.

“Trabalhar numa cozinha à noite e até tarde perto de equipamentos de cozinha perigosos é uma realidade para muitos adultos na indústria de serviços de alimentação. Mas encontrar crianças de 10 anos em tal ambiente de trabalho é motivo de preocupação e ação do Departamento do Trabalho dos EUA”, pode ler-se no comunicado.

Ora, o excerto que foi destacado no Twitter para acusar os deputados do BE de propagarem fake news é a resposta à CNN da empresa “Bauer Foods LLC”, responsável pela loja da cadeia de fast food onde as duas crianças foram encontradas. Alegou que “as duas crianças de 10 anos supostamente empregadas eram filhos de um gerente noturno e que estavam a visitar o seu pai no trabalho”. Acrescentou que a presença dos menores naquela zona do restaurante “não foi aprovada pela administração da organização”.

Esta é a defesa apresentada pela empresa onde os casos destas duas crianças de 1o anos foram sinalizados. Mas a verdade é que o Departamento de Trabalho dos EUA confirmou não só a presença, mas também a realização de tarefas laborais pelos menores. Os responsáveis pela loja em causa podem agora ser multados por violação das leis do trabalho infantil.

Assim, é falso que os dois deputados do Bloco de Esquerda tenham propagado desinformação nas redes sociais. O excerto destacado no Twitter por quem realizou a acusação diz respeito ao contraditório apresentado pela empresa norte-americana na qual foram encontradas duas crianças de 10 anos a trabalhar durante o período noturno. O relatório da entidade que fiscalizou o estabelecimento especifica as tarefas que as duas tinham a seu cargo, incluindo funções perigosas, como a de operar uma fritadeira.

__________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque