"Aparentemente o 'texto' publicado pelo Quaresma sobre o André Ventura não foi escrito pelo próprio e sim pelo deputado do BE, Moisés Ferreira, que depois lhe o enviou para ele o publicar", indica-se na mensagem associada a uma das publicações detectadas pelo Polígrafo, concluindo da seguinte forma: "Penso que está tudo dito… Cada um tire as suas conclusões da, no mínimo 'triste' para não chamar outras coisas, participação destas 'personagens' nesta situação!"

É verdade que foi o deputado bloquista Moisés Ferreira quem escreveu o texto de Ricardo Quaresma contra o "populismo racista" de André Ventura?

Não. É falso. O Polígrafo confirmou junto de duas fontes oficiais do BE que não foi Moisés Ferreira - nem qualquer outro deputado, dirigente ou funcionário bloquista - quem escreveu o texto publicado por Ricardo Quaresma no dia 6 de maio.

"Evidentemente que é tudo falso", repetiram as duas fontes, em contactos separados.

O próprio deputado Moisés Ferreira, aliás, já publicou uma mensagem na sua página no Facebook desmentindo também essas alegações.

"A extrema-direita ainda não se refez da goleada que Ricardo Quaresma impôs a André Ventura. Chorosa anda pelas redes sociais a negar que um jogador de futebol, cigano, tenha dado uma lição de coragem e integridade ao deputado / comentador / consultor /youtuber. Mas deu. E que forte que deve ter sido", escreveu Moisés Ferreira, há cerca de uma hora.

"Triste de quem tenta ser alguém na vida atirando os homens uns contra os outros. Quando um homem se ajoelha na frente de Deus devia olhar para Deus com o mesmo amor com que Deus olha para nós, sem distinção de raça ou cor. Triste de quem se ajoelha só para ficar bem na fotografia, para enganar os outros e parecer um homem de bem aos olhos do povo", escreveu Ricardo Quaresma, jogador de futebol, em mensagem publicada a 6 de maio nas suas páginas oficiais de redes sociais.

"A seleção nacional de futebol é de todas as cores, pretos, brancos e até ciganos. Em todos bate no coração a vontade de dar a glória ao país e no momento de levantar os braços e celebrar um golo acredito que nenhum português celebre menos porque o jogador é preto, branco ou cigano. Eu sou cigano. Cigano como todos os outros ciganos e sou português como todos os outros portugueses e não sou nem mais nem menos por isso. Como homem, cigano e jogador de futebol já participei em várias campanhas de apelo contra o racismo, não porque parece bem mas porque acredito que somos todos iguais e todos merecemos na vida as mesmas oportunidades independentemente do berço em que nascemos", defendeu Ricardo Quaresma.

E acusou: "O populismo racista do André Ventura apenas serve para virar homens contra homens em nome de uma ambição pelo poder que a história já provou ser um caminho de perdição para a humanidade. Olhos abertos amigos, o populismo diz sempre que é simples marcar golo mas na verdade marcar um golo exige muita tática e técnica. Olhos abertos amigos, o racismo apenas serve para criar guerras entre os homens em que apenas quem as provoca é que ganha algo com isso. Olhos abertos amigos, a nossa vida é demasiado preciosa para ouvirmos vozes de burros… Isto se queremos chegar ao céu".

____________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network