Chama-se Victoria Donda Pérez, é política, advogada, ativista de direitos humanos, uma das principais defensoras da legalização do aborto na Argentina e, neste caso, um bom exemplo para ilustrar a expressão popular "No melhor pano cai a nódoa".

Uma fotografia, que entretanto se tornou viral nas redes sociais, mostra uma mulher a aspirar cocaína, no meio de uma multidão, e os utilizadores garantem que se trata da deputada do país da América do Sul. A associação fez ativar o interruptor dos discursos de ódio, que surgiram praticamente à velocidade da luz: "Victoria Donda, eis aí a fonte inspiradora dos comunistas. É daí que surgem as ideias de implantar ideologia de género e distribuição de material porno para as crianças de seis anos na escola". As palavras, alicerçadas no preconceito, continuam e multiplicam-se nas redes sociais, sobretudo entre utilizadores simpatizantes de partidos de direita.

Segundo o site argentino Chequeado, a mulher que aparece na fotografia não é a deputada. De facto, uma consulta ao perfil oficial de Donda permite desvendar que, apesar das semelhanças físicas existentes, não se trata da mesma pessoa.

Porém, alguma coisa não bate certo. A mesma imagem, a mesma pessoa, o mesmo gesto é atribuído também a uma deputada espanhola, do partido Ciudadanos, Ana Ronda. Ora, a coincidência não pode ser só uma coincidência, até porque não há duas pessoas iguais, o que significa que alguém está a mentir. Certo é que, em nenhum dos casos, nas publicações que já foram partilhadas mais de uma centena de milhares de vezes, é referida uma fonte credível para a informação.

Se há gato escondido com o rabo de fora, o melhor é começar pelo Google. Uma pesquisa por «Victoria Donda cocaína» não revela qualquer notícia sobre o assunto, a não ser desmentidos em sites de verificação de factos.

Segundo o site argentino Chequeado, a mulher que aparece na fotografia não é a deputada. De facto, uma consulta ao perfil oficial de Donda permite desvendar que, apesar das semelhanças físicas existentes, não se trata da mesma pessoa. Além disso, é também no perfil de Facebook que a deputada aproveita para desmentir o boato: «Outra notícia falsa. Quando não têm nada para te criticar a nível político, inventam, por isso é importante verificar a informação, antes de a partilhar (…) A foto também foi usada em Espanha para atacar o Podemos, alegando que eles eram aliados de alguém como eu. As fontes de mentira da direita atuam de forma coordenada a nível internacional».

Independentemente do alvo ser mais à esquerda ou mais à direita, em todos os casos, a fotografia tem sido utilizada como arma de arremesso político que, apesar de falsa, tendo em conta o número de partilhas, tem deixado em alvoroço as redes sociais.

O Chequeado revela que, na verdade, a fotografia que mostra uma mulher a aspirar cocaína, utilizando como base um telemóvel, já circula na Internet pelo menos desde 2017, e tem sido usada em vários conteúdos satíricos, nomeadamente memes. Ora, este facto põe também em causa a outra informação que aponta uma deputada espanhola como a mulher que está na fotografia.

O site de verificação de notícias da vizinha Espanha Newtral faz o desmentido: a página avança que o Ciudadanos confirma que não se trata de ninguém que pertença ao partido, aliás, o nome Ana Ronda nem é reconhecido entre os dirigentes. O portal avança, ainda, que a foto já tinha sido usada para um ataque político semelhante, mas no México.

Independentemente do alvo ser mais à esquerda ou mais à direita, em todos os casos, a fotografia tem sido utilizada como arma de arremesso político que, apesar de falsa, tendo em conta o número de partilhas, tem deixado em alvoroço as redes sociais.

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network