"Um dia triste para as Termas de São Pedro do Sul e para a 'Sintra da Beira'. A cada dia que passa se vê mais betão e cada vez menos 'verde'", denuncia-se numa publicação no Facebook de 13 de junho. São partilhadas várias fotografias que mostram os trabalhos de corte e remoção das referidas árvores.

Outra publicação, de 14 de junho, assinala a mesma situação. "Nas Termas de S. Pedro do Sul a destruição tem sido arrasadora. Alguém pode ajudar a parar este desvario?", alerta um internauta.

Contactada pelo Polígrafo, fonte oficial da Câmara Municipal de São Pedro do Sul remeteu esclarecimentos para o aviso que publicou na sua página oficial de Facebook sobre o corte destas árvores, bem como para o relatório técnico que lhe está associado.

"O Município informa que está a proceder ao corte de duas árvores de grande porte na zona do Carvalhedo, nas Termas de S. Pedro do Sul. De acordo com os relatórios técnicos apresentados, esta era uma intervenção urgente no sentido da salvaguarda da segurança de pessoas e bens", informou a câmara no dia 13 de junho. Segundo a mesma fonte, no decurso de uma empreitada de reabilitação dos muros em pedra nesta zona, "foi verificado que a distribuição de raízes por baixo da estrada em direção ao leito do rio pode ter colocado em causa a estabilidade do pavimento e provocado o desabamento ocorrido".

No relatório técnico mencionado, datado de 12 de março, é anexada uma fotografia das duas árvores de grande porte e aplicada como medida preventiva e de correção o seu abate, bem como a escavação em toda a zona afetada e da "zona da base das árvores, para remoção de raízes e de solos que não se verifiquem apropriados para o efeito, para posterior colocação de novas bases de acordo com as boas regras de execução, bem como deverá ser estudada nova solução de suporte das terras, complementar ao muro em pedra a executar".

O executivo municipal de São Pedro do Sul informa ainda que a decisão do abate das duas árvores foi levada à reunião ordinária do dia 12 de maio de 2022. Na respetiva ata da reunião, informa-se que a Câmara Municipal "deliberou, por unanimidade, concordar com a solução apontada, no sentido de se proceder ao abate das duas árvores de grande porte" existentes no local indicado. Além disso, comunica-se que, também por unanimidade, foi autorizada a "realização de procedimento urgente com convite a três entidades para venda e corte daquelas árvores, autorizando-se a realização de negociação direta no caso daquele procedimento eventualmente ficar deserto de concorrente".

Em suma, a informação divulgada nas redes sociais é verdadeira. No entanto, está em causa o abate de duas árvores que, segundo um parecer técnico, colocavam em causa a estabilidade do pavimento da via pública. Além disso, a decisão foi aprovada em reunião municipal por unanimidade.

_____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network