O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Debates Europeias. Pedro Fidalgo Marques: “Menos de 15% da população prisional é estrangeira”

Política
O que está em causa?
Com o objetivo de "desmistificar a questão do medo", em resposta ao discurso de António Tânger Corrêa (Chega) que associou a imigração à criminalidade, no debate desta manhã nas rádios, o candidato do PAN disse que "vamos ver as nossas prisões" e "menos de 15% é população que não é portuguesa". Confirma-se?
© Agência Lusa / António Pedro Santos

A pergunta era sobre a proposta do PAN de instalação de “Balcões do Cidadão para recolha de dados biométricos”, mas Pedro Fidalgo Marques aproveitou esse momento do debate desta manhã – transmitido pelas rádios Antena 1, Renascença, TSF e Observador – para responder a uma intervenção anterior de António Tânger Corrêa, cabeça-de-lista do Chega às eleições para o Parlamento Europeu.

“Para desmistificar a questão do medo, levantada por Tânger Correia, porque faz muitas vezes acusações sem depois ter consequências, para que fique claro, por exemplo, quando temos processos de condenações e vamos ver as nossas prisões, menos de 15% é população que não é portuguesa“, afirmou o candidato do PAN.

E com base nesse dado estatístico concluiu que “portanto, esta ideia de que a imigração vai trazer um aumento da criminalidade é um erro, não está correta e vai incutir esta política do medo”.

A percentagem indicada por Fidalgo Marques tem sustentação factual?

De acordo com a última edição do “Relatório Anual de Segurança Interna 2023“, divulgada há cerca de uma semana, a população prisional diminuiu em 190 reclusos, para um total de 12.193 indivíduos, dos quais 2.655 em prisão preventiva. São sobretudo pessoas do sexo masculino (92,6%) e de nacionalidade portuguesa (83,3%).

No documento salienta-se que a relação entre reclusos estrangeiros (16,7%) e portugueses “manteve-se estável”, apesar de uma ligeira subida de 1,4% em comparação com 2022. Na última década registara-se uma diminuição de 3,8% na proporção de reclusos estrangeiros.

Em suma, a percentagem referida pelo candidato do PAN está próxima da realidade, mas não é exata. O facto é que, tanto em 2022 como em 2023, pouco mais de 15% da população prisional tinha nacionalidade estrangeira. Uma questão de algumas décimas.

_______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque