O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Debates Europeias. Cotrim de Figueiredo: “Grandes empresas” são aquelas “que melhor pagam” em Portugal

Política
O que está em causa?
No debate que opôs esta manhã, na rádio "Observador", os candidatos do Iniciativa Liberal e da CDU, sucederam-se os pontos de discórdia. Por exemplo, quando João Oliveira defendeu uma maior tributação sobre as grandes empresas, João Cotrim de Figueiredo acusou-o de querer afastar essas empresas de Portugal, embora sejam "aquelas que melhor pagam".
© Agência Lusa / Rodrigo Antunes

A transposição da diretiva europeia que determina uma taxa mínima de IRC em 15% a aplicar às grandes empresas multinacionais foi alvo de discussão, esta manhã, na rádio “Observador”, com o comunista João Oliveira a defender que “era preciso que a tributação fosse maior sobre estes grupos económicos, sobre as multinacionais, sobre as grandes empresas, que mais lucros têm”.

Uma afirmação que mereceu resposta imediata por parte do seu oponente neste frente-a-frente, o liberal João Cotrim de Figueiredo: “Eu registo que a CDU, que tem passado esta campanha toda, e o João Oliveira em particular, a defender a ‘necessidade de valorização de salários’, quer afastar as grandes empresas de Portugal, que são aquelas que melhor pagam.”

Em jeito de provocação, o candidato da CDU disse estar “à espera” que lhe mostrem “essa diferença entre empresas estrangeiras e empresas nacionais por setor”, ao que o liberal explicou que não falava “das empresas estrangeiras”, mas sim “das grandes”. E concluiu: “As grandes [empresas] pagam francamente mais, não tenho aqui os dados de memória, mas estamos a falar na ordem dos 20%.”

Esta alegação de Cotrim de Figueiredo tem sustentação factual?

Sim. O estudo intitulado como “Análise prospetiva do impacto do crescimento das grandes empresas em Portugal”, realizado pelo investigador Bruno Damásio em conjunto com uma equipa de investigação da NOVA IMS e em colaboração com a Associação Business Roundtable Portugal (ABRP), apresenta dados que sustentam a afirmação do ex-líder do Iniciativa Liberal.

Uma das principais conclusões desta investigação, publicada em março de 2023, é precisamente a seguinte: “Ao nível salarial, foram as grandes empresas que mais gastaram com os seus trabalhadores, sendo que, em média, foram gastos cerca de 31 mil euros por cada colaborador, o que significa que uma grande empresa gastou mais 30% do que uma empresa média e mais 70% do que uma empresa pequena.”

Pelo que aplicamos o selo de “Verdadeiro” na frase em causa de Cotrim de Figueiredo.

_______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque