O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Debates Europeias. Catarina Martins: “A União Europeia gasta na Defesa, em percentagem do PIB, tanto como os EUA”

Política
O que está em causa?
A candidata do Bloco de Esquerda já se tinha enganado no debate de 15 de maio ao dizer que a UE "gasta mais em Defesa, em percentagem do PIB, do que a Rússia ou do que a China". No debate de hoje na rádio "Observador" voltou a errar ao afirmar que a UE "gasta na Defesa, em percentagem do PIB, tanto como os EUA".
© Agência Lusa / Miguel A. Lopes

Questionada sobre os números que tem indicado nos últimos debates sobre a despesa da União Europeia com a Defesa – e sobre se considera que “aquilo que a Europa gasta hoje em Defesa é suficiente” -, no debate desta tarde na rádio “Observador”, frente ao candidato João Oliveira da CDU, a ex-líder e cabeça-de-lista do Bloco de Esquerda nas eleições para o Parlamento Europeu respondeu com mais um dado estatístico.

“E até acrescento mais um número: a União Europeia gasta na Defesa, em percentagem do PIB, tanto como os EUA“, afirmou Martins, considerando ser “extraordinário o debate” sobre a União Europeia necessita de investir mais nesse setor.

Desta vez tem razão?

De acordo com os últimos dados do Banco Mundial, referentes ao ano de 2022, a despesa militar dos EUA ascendeu a 3,5% do Produto Interno Bruto (PIB), muito superior à registada pelos 27 Estados-membros da União Europeia que não foi além de 1,6% do PIB.

Por outro lado, o Instituto Internacional de Pesquisa para a Paz de Estocolmo (SIPRI) já apresentou dados referentes ao ano de 2023, indicando que os gastos com Defesa dos EUA fixaram-se ao nível de 3,4% do PIB, enquanto os países da União Europeia em conjunto permanecem abaixo da fasquia de 2% do PIB.

_______________________________

UE

Este artigo foi desenvolvido pelo Polígrafo no âmbito do projeto “EUROPA”. O projeto foi cofinanciado pela União Europeia no âmbito do programa de subvenções do Parlamento Europeu no domínio da comunicação. O Parlamento Europeu não foi associado à sua preparação e não é de modo algum responsável pelos dados, informações ou pontos de vista expressos no contexto do projeto, nem está por eles vinculado, cabendo a responsabilidade dos mesmos, nos termos do direito aplicável, unicamente aos autores, às pessoas entrevistadas, aos editores ou aos difusores do programa. O Parlamento Europeu não pode, além disso, ser considerado responsável pelos prejuízos, diretos ou indiretos, que a realização do projeto possa causar.

_______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque