O primeiro jornal português
de Fact-Checking

DEBATES 2024. Mariana Mortágua: “Por cada euro que um imigrante recebe em Portugal, paga sete à Segurança Social”

Política
O que está em causa?
O tema da imigração foi um dos que mereceu maior destaque, na noite desta terça-feira, no debate entre André Ventura e Mariana Mortágua, na RTP3. Desta vez, a líder bloquista recorreu a números recentes divulgados pelo Observatório das Migrações para destacar que os imigrantes contribuíram com “1.800 milhões” de euros para a Segurança Social no último ano de que há registo. Confirma-se?

Num frente-a-frente com André Ventura, a dirigente do Bloco de Esquerda, Mariana Mortágua, realçou as diferenças entre o seu partido e o Chega em matérias de política de imigração. Até porque, sublinhou, atualmente existem “imigrantes em Portugal porque há necessidade de trabalho imigrante em Portugal”.

Na perspetiva da bloquista, a “política que o Chega defende para a imigração significa o caos em Portugal” – nomeadamente em setores como a “agricultura”, as “pescas”, os “lares” ou a “construção”. Porém, “há uma coisa mais perversa nesta proposta” do partido liderado por André Ventura, que pretende estabelecer “quotas anuais para a imigração assentes nas qualificações” destas pessoas, entre outros fatores, segundo se pode ler no seu mais recente programa eleitoral.

E concluiu o seu raciocínio: “É que não é só o caos na economia, é o caos na Segurança Social. Porque, neste momento, por cada euro que um imigrante recebe em Portugal, paga sete à Segurança Social. O que quer dizer que os imigrantes estão a pagar as pensões dos idosos em Portugal: 1.800 milhões de contribuições.”

Confirmam-se os números avançados por Mortágua?

Em causa estão indicadores que constam do “Relatório Estatístico Anual 2023” do Observatório das Migrações, divulgado em dezembro desse ano. Segundo o mesmo, as contribuições de estrangeiros para a segurança social ascendeu aos “1.861 milhões euros em 2022”, o último ano de que há registo.

Quanto aos “gastos do sistema com prestações sociais de que os contribuintes estrangeiros” beneficiaram, o montante foi consideravelmente mais baixo, no último ano em análise, em comparação com o valor agora citado: 256,76 milhões em 2022. Contabilizou-se, assim, um saldo positivo das contribuições destes indivíduos, na ordem dos 1.604,24 milhões de euros.

Com base nos valores apresentados neste relatório, confirma-se que, em proporção, por cada euro que um imigrante receba da Segurança Social em prestações sociais, paga, em contribuições para a mesma, cerca de 7,25 euros. Precisamente como afirmou a dirigente bloquista.

_____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Fact checks mais recentes