O alerta surge através de uma uma mensagem de voz que circula no WhatsApp. A gravação dá como certo que os dados bancários de vários clientes da Amazon ficaram desprotegidos e foram utilizados por piratas informáticos para roubar dinheiro de contas bancárias, utilizadas para fazer pagamentos no site de vendas online. O homem que fala na gravação assegura que lhe furtaram cerca de 1000 euros e avança que outro colega foi vítima do mesmo crime.

A gravação que vai sendo reencaminhada de conversa em conversa, e de grupo em grupo, tem potencial para aterrorizar muitas pessoas: é que a Amazon conta com milhões de clientes em todo o mundo. Porém, o site de verificação de factos espanhol Maldita.es revela que não há qualquer evidência da veracidade dos factos relatados no áudio. Quem o garantiu foi a própria gigante tecnológica americana: "Na Amazon não temos conhecimento de qualquer fuga de dados à escala mundial".

Além disso, a polícia espanhola também confirmou ao Maldita.es que não tem conhecimento de denúncias acerca da publicação dos tais dados bancários. Mas há mais: uma pesquisa no Google sobre o assunto não revela qualquer notícia de um órgão de comunicação social credível que confirme o que circula nas redes sociais.

money
créditos: Pixabay

É, portanto, praticamente certo que a gravação, que se tem propagado em língua espanhola, não passa de uma tentativa de atacar a gigante tecnológica e de alarmar quem por lá faz compras. No entanto, há que não esquecer: a perda de dados já aconteceu na empresa. Em 2018, uma situação semelhante à que é relatada afetou não clientes, mas cerca de 100 vendedores da plataforma. Ao Maldita.es, a tecnológica não desmentiu este incidente em concreto, mas recusou-se a fazer declarações, uma vez que o caso se encontra nos tribunais, sob segredo de justiça. Contudo, ressalvou que o episódio do ano passado, que afetou vendedores, nada tem a ver com o boato que circula, agora, no WhatsApp.

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso