O caso tem sido relatado em várias páginas de Facebook: "Uma criança portuguesa, com apenas 13 anos, viajou para o México para enfrentar novilhos numa praça de touros. A criança sentiu-se mal, desmaiou, mas continuou a lide até ao fim, tendo sido internada num hospital no final do ‘espetáculo’."

As manifestações de indignação continuam a encher as caixas de comentários dos posts que partilham o texto de denúncia, que não termina sem lançar uma pergunta retórica: "Onde andam as autoridades portuguesas que deviam zelar pela segurança e bem-estar destas crianças, impedindo que pratiquem violência e coloquem em risco a sua vida, como determina a lei?."

A acompanhar as publicações, surgem três fotografias: uma delas mostra, alegadamente, o jovem em questão a tourear um bezerro, a outra retrata-o deitado numa cama de hospital, e uma terceira parece ser um recorte de uma notícia sobre o sucedido que, no entanto, não inclui qualquer referência ao órgão de comunicação social que a terá lançado.

Sendo assim, a dúvida é legítima: é verdadeiro que uma criança portuguesa de 13 anos toureou novilhos no México, mesmo depois de ter desfalecido na praça de touros?

A resposta é sim.

A primeira denúncia em relação a este caso foi feita pela Plataforma Basta de Touradas, um movimento cívico que luta pelo fim destes espetáculos. Na página de Facebook, o grupo apresenta o blogue Farpas, um site especializado em conteúdos relacionados com a tauromaquia, como fonte para a informação.

O Polígrafo consultou a página do blogue, onde, de facto, existe uma notícia sobre o sucedido, com o título "Triunfo e algum dramatismo no debute de Tomás Bastos no México". No texto, é referido que a criança em causa atuou num festival no país da América Latina, no dia 21 de novembro, onde toureou, apesar de estar doente. A informação é revelada pelo próprio pai de Tomás, o bandarilheiro David Antunes, que numa entrevista detalha o que aconteceu: "Sentia dores de estômago, vómitos e tinha diarreia. Mesmo assim, quis tourear (…) Depois voltou a sentir-se mal e desfaleceu. Mas recompôs-se, e ainda toureou de muleta."

A mesma página revela também que, depois do festival, Tomás Bastos foi internado num hospital em Guadalajara, onde ficou durante uma noite.

Tendo em conta que o incidente foi relatado, na primeira pessoa, pelo pai de Tomás Bastos, presume-se que é autêntica a denúncia que circula nas redes sociais. Além disso, há outros factos que ajudam a comprovar a veracidade do sucedido: um site especializado em notícias sobre a Galiza e o norte de Portugal, deu conta, a 13 de outubro, que a criança em causa, "no próximo mês de novembro", "vai com Neiro para o México" tourear.

touros

Outros sites de notícias - por exemplo o Infocul - publicaram artigos recentes sobre o jovem toureiro, referindo que tem 13 anos, que frequenta a Escola Taurina da Moita, e que "tem dado muito que falar além-fronteiras". A propósito deste texto, há um vídeo que mostra o menor a tourear novilhos numa praça de touros.

tourada

O Polígrafo contactou a Plataforma Basta de Touradas que revela que está a ultimar uma denúncia para enviar à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Vila Franca de Xira, onde reside o toureiro, e também uma queixa-crime ao Ministério Público a propósito deste caso.

Ao Polígrafo, o advogado Gameiro Fernandes entende que "apesar de os factos terem ocorrido fora do território português, quer o menor, quer os pais são portugueses", pelo que "as autoridades têm de atuar", uma vez que "estes progenitores não podem colocar um menor de 13 anos perante um risco que muitos homens adultos não correriam".

O Polígrafo contactou a Plataforma Basta de Touradas que revela que está a ultimar uma denúncia para enviar à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Vila Franca de Xira, onde reside o toureiro, e também uma queixa-crime ao Ministério Público a propósito deste caso.

De facto, a lei é clara ao definir que "os artistas tauromáquicos e os auxiliares devem ter a idade mínima de 16 anos". É certo que menores poderem participar, como intervenientes, em espetáculos culturais, porém, neles, não estão incluídos aqueles que envolvem "contacto com animal, substância ou atividade perigosa que possa constituir risco para a segurança ou a saúde do menor".

O Polígrafo contactou o pai de Tomás Bastos, David Antunes, mas este não respondeu ao pedido de esclarecimento que lhe foi remetido.

Em conclusão, é verdadeiro que uma criança portuguesa de 13 anos toureou novilhos num espetáculo no México, mesmo depois de ter desmaiado na praça de touros. Pelo facto de a lei proibir esta atividade a menores de 16 anos, a Plataforma Basta de Touradas, que denunciou o caso, vai apresentar uma denúncia à CPCJ e ao Ministério Público.

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network