"Alerta! Crimes contra a Humanidade! Portugal! 'Mais vale um pássaro na mão do que dois a voar!' O jornalixo deixou escapar um do diamente do povo", comenta-se no post datado de 7 de dezembro.

Baseia-se na imagem de uma notícia com o seguinte título: "Covid-19. Misturar vacinas garante mais imunidade". Mas o enfoque é colocado sobre uma frase isolada: "Sistema imunitário produz mais anticorpos do que com duas doses da mesma vacina".

Não se percebe se essa frase faz parte integrante da notícia, assim como não há qualquer hiperligação para o texto da notícia, apenas uma imagem da mesma.

Ora, essa notícia revela que o sistema imunitário produz - de forma natural - mais anticorpos contra a Covid-19 do que duas doses da mesma vacina, ou trata-se de um interpretação errada?

Encontramos a notícia original na página da SIC Notícias (pode consultar aqui), com a data de 7 de dezembro de 2021. E verificamos desde logo que o título que surge na imagem está abreviado. Ao abrir a notícia deparamos com um título mais completo: "Covid-19. Estudo conclui que misturar vacinas garante mais imunidade".

Publicado na revista científica "The Lancet", o estudo indica que a mistura entre dois tipos de vacinas diferentes pode ter maior eficácia contra a Covid-19, em comparação com duas doses da mesma vacina. De acordo com a investigação da Universidade de Oxford, uma primeira dose da vacina da Pfizer ou da AstraZeneca garante maior imunidade se for combinada, nove semanas depois, com uma segunda dose da vacina da Moderna.

"Os investigadores salientam que este pode ser um sinal positivo para países com baixos rendimentos, já que poderão combinar vacinas de marcas distintas se deixarem de ter stock da que usaram para a primeira dose", salienta-se na notícia.

"Observámos uma resposta imunitária muito boa. Maior até do que com duas doses da mesma vacina", afirmou Matthew Snape, coordenador da investigação, citado pela SIC Notícias. "Demonstrámos que há flexibilidade, não temos que obedecer rigidamente ao uso da mesma vacina para a primeira e segunda doses, e se o processo de vacinação ficar concluído mais rapidamente usando vacinas diferentes, então isso pode ser feito".

Quanto à frase isolada - "Sistema imunitário produz mais anticorpos do que com duas doses da mesma vacina" -, aparece na abertura ou super lead da notícia. Ou seja, deve ser lida e interpretada em conjugação com o título, além do texto da notícia.

Pelo que é errada, ou não tem qualquer fundamento na notícia (e no estudo em causa), a interpretação de que o sistema imunitário produz - de forma natural - mais anticorpos contra a Covid-19 do que duas doses da mesma vacina.

___________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network