"A associação de optometristas enviou-me esta informação. Se estiveres num centro comercial e te medirem a temperatura com um termómetro de infravermelhos, cobre os olhos como precaução. Muitas vezes, quem o usa não sabe para onde está a apontar. O termómetro destes equipamentos funciona com base num feixe de laser que armazena as informações para gerar a leitura, mas foi detetado que nem todos estes termómetros são calibrados de forma adequada para evitar que, se for apontado de forma errada para a retina, a danifiquem", pode ler-se na mensagem que está a ser partilhada nas redes sociais.

Verdade ou falsidade?

Questionado pelo Polígrafo, Júlio Cerqueira, médico especialista em Medicina Geral e Familiar e criador do projeto Scimed, explica que "os termómetros infravermelhos funcionam recebendo a radiação térmica emitida pelos seres humanos. Não necessitam de enviar nenhum 'laser' para fazer a medição de temperatura. Logo, o uso de termómetros infravermelhos não pode ser prejudicial aos olhos se não há qualquer emissão de radiação."

"Existem termómetros que têm um 'apontador a laser' que na realidade é relativamente inútil, já que a medição da temperatura é feita em grande proximidade e não há qualquer necessidade desse apontador. Mas esse laser é de muito baixa energia, não tendo capacidade de danificar os olhos principalmente se a luz incidir de forma momentânea sobre o olho, por engano", conclui.

A própria Food and Drug Administration (FDA) dos EUA aconselha o seu uso em contextos pandémicos, listando uma série de benefícios do uso deste tipo de termómetros: medição sem contacto, facilidade de uso, facilidade de desinfeção e rapidez de leitura.

Em conclusão, não há qualquer evidência factual que sustente a afirmação de que este tipo de termómetros danifiquem a retina.

_______________________

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network