A região norte do país ficou conhecida por dar o exemplo nos primeiros dias em que as autoridades de saúde pediram à população para ficar em casa, de maneira a tentar conter a disseminação da Covid-19 em Portugal. No entanto, este domingo um lote de fotografias foi posto  a circular nas redes sociais ao início da tarde, com a seguinte legenda «A Pandemia/quarentena tem ‘fim de semana’?! Marginal Póvoa / Vila do Conde 22/03/2020, Polícia/autoridades =0». As imagens, publicadas por um fotógrafo, mostram a marginal da cidade do norte do país repleta de pessoas a andar, a correr, enfim, a passear, numa altura em que, devido ao estado de emergência em vigor a nível nacional, toda a população tem o dever de confinamento e a responsabilidade de manter o afastamento social para conter a propagação da Covid-19.

Em poucos minutos, o retrato da desobediência foi partilhado milhares de vezes nas redes sociais,  com muitos portugueses ou a não acreditar, ou a condenar veemente aquele ato: «Hoje, isso? Sério?»; «Não acredito no que estou a ver… é inacreditável!»; «Se esta foto for de agora, o perigo estáiminente, obriguem esses otários a ir para casa, e antes de entrarem em contacto com as famílias, que se desinfetem, ignorantes»; «Como é possível? As autoridades deviam tomar medidas já».

coronavirus

Ainda assim, a publicação das imagens, por si só, não significa que as mesmas sejam verdadeiras ou, mesmo sendo, que correspondam à manhã deste domingo. Infelizmente para o bem comum, as fotografias são autênticas. Poucos minutos depois de serem partilhadas nas redes sociais, o jornal Mais Semanário, da Póvoa de Varzim, publicou uma reportagem onde as incluía, identificando José Alberto Nogueira, um fotógrafo que colabora com a publicação, como o autor das 14 fotografias. O jornal escreveu: «Apesar das recomendações das autoridades para que a população fique em casa e evite o contacto social, a manhã de domingo, e o dia de sol, foi aproveitada por muitas pessoas para passearem na marginal que liga a Póvoa de Varzim a Vila do Conde».

coronavirus

Pouco depois, foi a vez de o jornal O Minho dar a notícia, e não tardou muito até que o presidente da Câmara da Póvoa de Varzim se pronunciasse, também através do Facebook: «Face ao comportamento inconsciente que assistimos esta manhãna nossa cidade, pelo desrespeito ao estado de emergência que vigora (…), o Município da Póvoa de Varzim éobrigado a atuar de forma rigorosa para que todos adotem comportamentos adequados com a imposição declarada de isolamento social (…). Assim sendo, a partir deste momento, implementamos as seguintes medidas: todos os acessos à nossa cidade (…) estarão sob controlo da PSP; a marginal estará encerrada ao trânsito; A polícia municipal irá permanecer na via pública, para que todos os que andam na rua cumpram as medidas estipuladas. (…) Fiquem em casa». Anexadas à publicação do município, estavam novas imagens da marginal, já cortada ao trânsito, com polícia na rua e com fitas a vedar os parques infantis junto à praia.

Ao final da tarde de domingo, Aires Pereira, o presidente da câmara, deu uma entrevista à Rádio Observador, onde assume sentir-se «surpreendido», com o que se passou. «Nada previa que os poveiros fossem ter este comportamento, uma vez que durante a semana têm estado recolhidos e as coisas correram com normalidade. Hoje decidiram ter o comportamento normal que têm quando a Póvoa não está sujeita a estas situações». O autarca diz esperar «que as pessoas tenham percebido a incúria do seu comportamento», e lembra que estas atitudes «em nada contribuem para a proteção de cada um para evitar a propagação de um vírus que está a ter consequências devastadoras no mundo inteiro».

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network