Um vídeo colocado a circular no TikTok denuncia o que o seu autor considera um “roubo”. Nele, o cidadão agarra na mangueira num posto de combustível e, ainda antes de abastecer o seu automóvel, prime o manipulo, saindo apenas ar. O problema é que, mesmo não havendo admissão de combustível, o contador começa a contabilizar o consumo.

cepsa

Será esta situação passível de acontecer?

Sim. São situações pontuais que resultam habitualmente de anomalias no medidor da bomba de abastecimento, que é aferido anualmente pelas autoridades oficiais.

Ao Polígrafo, a Cepsa, que é titular do posto visado no vídeo em análise, confirma o sucedido, mas sublinha três pontos: 1) o cliente não foi prejudicado pelo ocorrido, uma vez que não chegou a abastecer nessa bomba, tendo-o feito noutra; 2) assim que foi detetada a anomalia o posto de abastecimento foi imediatamente encerrado e posteriormente reparado; 3) trata-se de uma situação rara, mas passível de acontecer com qualquer fornecedor de combustível.

De facto, em maio de 2020 o Polígrafo analisou um caso semelhante ocorrido num posto da Galp com um cidadão que se preparava para abastecer um motociclo.

Bomba2

Mostrava uma bomba de gasolina daquela empresa a contabilizar os litros de combustível e o montante a cobrar sem que o dono da viatura estivesse sequer a abastecer. Também nessa ocasião o Polígrafo confirmou que não foi cobrado qualquer valor ao cidadão em causa.

___________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assina a Pinóquio

Fica a par de todos os fact-checks com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Recebe os nossos alertas

Subscreve as notificações do Polígrafo e recebe todos os nossos fact-checks no momento!

Em nome da verdade

Segue o Polígrafo nas redes sociais. Pesquisa #jornalpoligrafo para encontrares as nossas publicações.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network