"Um conjunto de 130 mil votos em Michigan foram 100% para Biden. Isto é mais do que razão para levar a Tribunal", garante um dos internautas portugueses que propagaram esta alegação com origem nos EUA, mais especificamente num tweet de Matt Mackowiak (partilhado desde logo pelo atual presidente dos EUA e recandidato ao cargo, Donald Trump) que entretanto já foi apagado.

"Então, ao que parece, quando a coisa se encaminhava favoravelmente à vitória de Donald Trump, certos Estados resolveram suspender a contagem, e no regresso surgiram curvas verticais e milagrosas a favor de Joe Biden", denuncia-se noutra publicação de hoje, em língua portuguesa. "Para tornar a coisa ainda menos suspeita, os Estados que suspenderam a contagem são todos exclusivamente governados por democratas. Por algum motivo todos os Estados governados por republicanos não tiveram necessidade de suspender a contagem. Nada de suspeito, portanto!"

Esta denúncia entretanto já foi analisada por várias plataformas norte-americanas de verificação de factos, nomeadamente a Politifact que concluiu tratar-se de uma fake news.

Os mapas que aparecem nas publicações com a suposta escalada abrupta dos votos em Joe Biden no Michigan são produzidos pela Decision Desk HQ, um serviço de dados e análises eleitorais.

"Foi um simples erro a partir de um arquivo criado pelo Estado que nós inserimos", esclareceu Drew McCoy, porta-voz da Decision Desk HQ, em declarações ao Politifact. O mesmo McCoy também assegurou que a Decision Desk HQ não altera os dados fornecidos pelos Estados.

"O Estado apercebeu-se do erro e produziu uma contagem atualizada. Assim que o fizeram, nós atualizámos a contagem de acordo [com esses dados]. Isto acontece em noites eleitorais e esperamos que outros tabuladores no Michigan tenham deparado com este erro e corrigido em tempo real, como nós fizemos", afirmou McCoy.

Muitas das publicações detectadas pelo Polígrafo apontam para uma alegada prova de "fraude eleitoral", mas na realidade tratou-se apenas de um erro de digitação ou processamento de dados, aliás prontamente corrigido. Acresce que os mapas com a evolução da contagem nem sequer são oficiais ou de entidades responsáveis pela contagem dos votos.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network