Duas imagens e uma legenda foram receita suficiente para semear a indignação contra a Coca-Cola, em vários grupos de WhatsApp, nos últimos dias. Na montagem, à esquerda, aparece alegadamente uma publicidade da marca, lançada nos Jogos Olímpicos de 1936, que aconteceram em Berlim, com o emblema do partido Nazi e um sloganem alemão. À direita, uma publicidade da mesma marca, apresentada como sendo de 2019, com uma garrafa onde, no rótulo, está impressa a bandeira LGBTI e a frase Love is love, em português,«amor é amor». A legenda, acima das duas imagens diz: «Capitalismo é para lucrar, sempre».

Ora, a composição gráfica sugere que a Coca-Cola se adapta aos tempos, mas ignora princípios e valores, e muda de posição,única e exclusivamente, com o objetivo de agradar a determinados grupos ou personalidades e, claro, fazer dinheiro.

No mundo da publicidade e das marcas, tal jogada não admiraria muitas pessoas, no entanto, é falso que a Coca-Cola tenha lançado publicidade com propaganda nazi, nos Jogos Olímpicos de 1936. O site brasileiro de verificação de factos E-Farsas traça o caminho que leva a concluir que a imagem que supostamente mostra a publicidade dos anos trinta, não corresponde a um anúncio ao refrigerante norte-americano.

coca-cola

Em primeiro lugar, uma pesquisa na Internet mostra que a tal imagem só está online desde 2004. Caso fosse real, obviamente que circularia no mundo virtual há mais anos, sobretudo por ser potencialmente polémica.

Em segundo lugar, o slogan diz «um povo, um império, uma bebida. É Coca-Cola», uma frase muito semelhante àquela que se tornou um símbolo da propaganda nazi - «Um povo, um império, um líder». Ora, um blog, que até já tinha desmentido o boato em 2017, garante que trocar, no anúncio, a palavra «líder» por «bebida» seria um insulto ao regime e a Hitler, o que inviabilizaria a publicidade num Governo ditatorial, sobretudo nos Jogos Olímpicos, evento que estava pejado de referências nazi.

coca-cola

Em terceiro lugar, a frase «É Coca-Cola», em alemão «Coke ist es», que aparece no anúncio, só começou a ser utilizada pela marca em 1981. Na altura dos Jogos Olímpicos de Berlim, o slogan era «Stets Eiskalt», em português «Sempre gelado».

Em quarto, e último lugar, um site que elenco anúncios da Coca-Cola entre 1935 e 1939, na Alemanha, não mostra nenhuma publicidade, sequer, semelhante à que tem corrido o WhatsApp.

O E-Farsas revela, no entanto, que a imagem, apesar de não corresponder a nenhum anúncio da Coca-Cola, é real e faz parte de um conjunto de cartazes exibidos em Londres, em 2004, numa exposição sobre propaganda nazi, na qual a organização pediu ao público para colaborar com trabalhos, mesmo que fossem resultado, apenas, da imaginação.

coca-cola

Quanto à fotografia da direita, a que mostra a Coca-Cola com um rótulo com as cores da bandeira LGBTI, ela éreal, e resulta de uma campanha lançada, de facto, em agosto, na Hungria, com o slogan«Love is love»,que mostrava vários casais hetero e homossexuais a partilharem a mesma garrafa da bebida gaseificada.

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network