"Putin sinaliza recuo na Ucrânia, presidente Bolsonaro evita a 3.ª Guerra Mundial". É esta a mensagem presente numa imagem amplamente partilhada em que se garante que a CNN noticiou que o chefe de Estado do Brasil teria convencido o presidente da Rússia a não invadir a Ucrânia.

Um dos utilizadores das redes sociais que partilhou esta imagem foi o ex-ministro do Meio Ambiente do Brasil, Ricardo Salles, que conta com quase 650 mil seguidores no Twitter e cerca de 600 mil no Instagram, espaços que utiliza com frequência para passar mensagens pró-Bolsonaro.

A informação é verdadeira?

Não. E já obrigou a CNN Brasil a emitir um desmentido na manhã de 15 de fevereiro, sublinhando tratar-se de "uma postagem fake", mas a imagem continua a circular nas redes sociais.

"O ex-ministro Ricardo Salles publicou hoje (dia 15) uma montagem que atribui à CNN a informação de que o presidente Jair Bolsonaro evitou 'a 3.ª Guerra Mundial'. Na postagem fake, a frase mentirosa entra como suposta causa do recuo do presidente da Rússia, Vladimir Putin, para invasão da Ucrânia", esclareceu a CNN Brasil.

De facto, Jair Bolsonaro visitou a Rússia e encontrou-se com Vladimir Putin, mas não há nenhum indício de que tenha convencido o chefe de Estado russo a cancelar uma eventual invasão militar da Ucrânia. O presidente do Brasil elogiou o homólogo russo, mas não fez qualquer declaração pública sobre o encontro.

A reunião dos dois líderes deu azo a várias fake news. Uma delas - já escrutinada pela equipa do Polígrafo - consistia num vídeo com legendas falsas, nas quais se podia ler que a Rússia teria retirado tropas militares da fronteira com a Ucrânia por conselho de Jair Bolsonaro. O vídeo era autêntico, mas as legendas tinham sido manipuladas para espalhar desinformação.

___________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.