Nas redes sociais, muitos clientes da cadeia de hipermercados Continente têm partilhado imagens de mensagens SMS que receberam nos seus telemóveis, supostamente assinadas pela empresa de retalho. Nessas mensagens anunciava-se que o receptor seria o vencedor de um sorteio promovido pela marca.

Eram mensagens com diferentes versões: "Caro (nome), A 3 de Novembro o seu nome foi escolhido como o segundo vencedor no nosso sorteio de novembro. Veja as informações aqui (link)"; "Parabéns! Os resultados do sorteio de códigos postais saíram hoje! Você é um dos nossos 5 compradores sortudos (link)"; entre outras.

O cliente, ao clicar na hiperligação, seria remetido para um site de phishing (nome dado ao ataque informático cujo objetivo é a clonagem de sites de empresas, bancos, etc.) que, de seguida, lhe solicitaria dados pessoais e/ou bancários para receber o suposto prémio.

A cadeia de hipermercados Continente divulgou na sua página de Facebook que se tratava de uma fraude e que a marca nunca teria enviado as mensagens em questão: "Estão a ser divulgadas campanhas fraudulentas em nome do Continente de forma indevida no remetente, por via de SMS. Para vossa segurança, não devem clicar em nenhum link. Pedimos a colaboração de todos na denúncia da campanha fraudulenta em questão".

Este aviso foi denunciado como falso por utilizadores do Facebook e, por outro lado, vários leitores do Polígrafo solicitaram uma verificação do mesmo conteúdo. O Polígrafo confirmou que o aviso é verdadeiro e que a campanha fraudulenta ocorreu mesmo, visando os clientes dos hipermercados através de mensagens enganadoras.

Segundo fonte oficial do Continente, a marca "está a ser utilizada num esquema de phishing que tem por objetivo a obtenção de dados pessoais", sublinhando não ter sido a primeira vez: "Lamentavelmente, estes esquemas ocorrem com alguma regularidade lesando marcas e clientes. Uma vez que já fomos alvo deste tipo de ataques no passado, estamos preparados para detetar estas ocorrências e reagir prontamente", assegura.

Os responsáveis pelo ataque informático não foram identificados, nem a quantidade de vítimas do esquema. Contudo, o Continente assegura que não houve qualquer acesso às bases de dados dos clientes: "Ainda que não nos seja possível identificar os responsáveis, uma vez que são utilizados websites e servidores alojados no estrangeiro para o envio das SMS fraudulentas ou mesmo quantificar as vítimas deste ataque, podemos confirmar que não ocorreu data breach, ou seja, que não houve qualquer acesso indevido a dados pessoais de clientes do Continente", garante.

De forma a que os clientes se precavejam de futuros ataques, a marca desenvolveu uma plataforma específica para o efeito: "No sentido de assegurar a prevenção e segurança, desenvolvemos no passado uma plataforma com informação sobre o phishing, que aconselha os nossos clientes, sempre que lhes sejam solicitados dados em nome do Continente, a não responder ou clicar em qualquer link, apagando de imediato as mensagens".

***

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “verdadeiro” ou “maioritariamente verdadeiro” nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro