“O Presidente da Ucrânia e a sua mulher. Espetacular interpretação”, escreve-se numa publicação do Facebook. O post remete para um vídeo do YouTube que está a ser descrito nas redes sociais como um dueto entre Volodymyr Zelensky e a sua mulher Olena Zelenska, gravado quando ambos eram um “jovem casal”.

O vídeo em que um homem e uma mulher surgem a cantar a música “Endless Love”, de Lionel Richie e Diana Ross, está a ser partilhado no Facebook e no Twitter como uma mensagem de amor em tempos de guerra. No entanto, a descrição destas publicações não poderia estar mais longe da realidade.

O vídeo original não corresponde a uma atuação musical do casal presidencial ucraniano, mas sim a uma gravação de uma banda de covers (versões diferentes de um tema musical que foi registado anteriormente por outro artista). Assim, ao contrário do que tem sido partilhado nas redes sociais, quem aparece a interpretar o tema musical é o vocalista da banda Boyce Avenue, Alejandro Manzano, e a cantora britânica Connie Talbot.

O vídeo foi publicado no YouTube em 20 de fevereiro de 2022, tendo sido visto por mais de nove milhões de pessoas e comentado por mais de quatro mil contas da plataforma. Nos comentários há quem admita ter descoberto a versão de “Endless Love” desta banda, cujo canal conta com mais de 15 milhões de subscritores, após se ter deparado com a informação falsa de que o vídeo corresponderia a um dueto do casal Volodymyr Zelensky e Olena Zelenska.

Em março, outro vídeo dos Boyce Avenue começou a circular nas redes sociais também ligado ao Presidente ucraniano. Dessa vez, as publicações garantiam que Zelensky era o intérprete de uma versão de "Imagine", de John Lennon.

_____________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network