“A nova doença que Bill Gates quer emplacar no mundo, varíola dos macacos”, salienta-se num tweet. A mesma publicação contém um vídeo que fala de uma alegada relação entre as fundações e empresas que financiaram as vacinas contra a Covid-19 com a varíola. A fundação Bill e Melinda Gates é uma das mencionadas nas imagens partilhadas.

No Facebook também circulam alegações semelhantes. “Nos próximos dias, você vai ouvir falar muito sobre a varíola dos macacos, uma doença que já é conhecida da ciência há décadas, mas que agora apresenta algumas características novas…vComo podemos observar nestes vídeos, desde 2017 que Bill Gates fala que uma pandemia de varíola poderia assolar. Em 2021, ele chegou a afirmar que  essa nova pandemia poderia ser mais mortífera que a de Covid-19. Crises planeadas. Ordem através do caos”, afirma o autor da publicação, partilhada no dia 24 de maio.

De facto, Bill Gates, o multimilionário que criou a Microsoft, falou em várias ocasiões sobre a varíola, mas fê-lo num contexto de preparação para um possível surto, e não do planeamento de um surto. Em fevereiro de 2017, por exemplo, na Conferência de Segurança de Munique, o filantropo alertou para os perigos do bioterrorismo: “A próxima epidemia tem uma boa hipótese de ter origem num ecrã de computador de um terrorista com a intenção de utilizar a engenharia genética para criar uma versão sintética do vírus da varíola ou uma estirpe contagiosa e altamente mortal da gripe.”

Numa conversa com o antigo secretário de Estado da Saúde do Reino Unido, Jeremy Hunt, em novembro de 2021, Gates falou sobre o nível de financiamento e organização necessários para se preparar para uma pandemia, e disse que essa contribuição poderia ir para coisas como "jogos de germes", onde as autoridades de saúde pública testam diferentes cenários.

“A próxima epidemia tem uma boa hipótese de ter origem num ecrã de computador de um terrorista com a intenção de utilizar a engenharia genética para criar uma versão sintética do vírus da varíola ou uma estirpe contagiosa e altamente mortal da gripe".

No entanto, esses comentários sobre a preparação para enfrentar possíveis pandemias não provam que Bill Gates tenha planeado um surto de varíola dos macacos. Além disso, quando Gates falou sobre o assunto, em 2017, não especificou, apenas falou da varíola no geral.

A varíola dos macacos (monkeypox, em inglês) é da família da varíola e a transmissão entre humanos acontece através do contacto com lesões cutâneas, fluidos corporais, vestuário e roupa de cama contaminados, ou de curta distância e exposição prolongada a gotículas respiratórias. Os casos provocados por esta doença estão a ser investigados pelas autoridades de saúde pública, incluindo a Direção-Geral da Saúde, o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) e a Organização Mundial da Saúde (OMS).

David Heymann, o antigo responsável pelo departamento de doenças transmissíveis da OMS, que esteve envolvido em programas de combate à varíola e a poliomielite, disse à Associated Press (AP), no dia 23 de maio, que a propagação da varíola dos macacos nos países desenvolvidos foi "um evento aleatório", não planeado.

________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network