Datada de 9 de maio, a publicação surgiu na página de Armando Ferreira, presidente do Sindicato Nacional da Polícia, no Facebook, com a seguinte mensagem: "66.077 euros gastos em catering (alimentação) na Cimeira Social no Porto e os polícias apenas receberam umas sandes. Espetáculo! (Ironia)".

Como ilustração surge uma imagem de uma notícia do jornal "Correio da Manhã", destacando em título: "Fatura de 1 milhão para festa da Cimeira Social". A notícia inclui uma lista de "despesas da cimeira", somando os respetivos valores até à despesa total de cerca de 910 mil euros.

De facto, estão registados no portal Base vários contratos por ajuste direto que comprovam os gastos indicados na publicação. Relativos a catering existem três: um de 6.420 euros, outro de 34.723 euros e um último de 26.834,88 euros. No total são 67.977,88 euros gastos em serviços de alimentação.

Relativamente à alimentação dos agentes de autoridade presentes no evento, fonte oficial do Comando Metropolitano do Porto da Polícia de Segurança Pública (PSP) garantiu ao Polígrafo que "se verificou um lapso de logística em termos da organização (Estrutura de Missão) que foi prontamente corrigido por esta Polícia".

Foram ainda gastos 12.904 euros em máscaras, 96.163,35 euros em cenários, sinaléticas e decoração, 11.072,41 euros em alcatifa com desenho especial, 21.874 euros em ofertas institucionais, 185.842,91 euros em equipamentos audiovisuais e serviços conexos, 44.542,56 euros com geradores, 79.382,81 euros no aluguer e montagem de estruturas e palcos e 64.182,32 euros em equipamentos de iluminação.

Ainda houve despesas com o aluguer de mobiliário (19.815,25 euros), aluguer de viaturas elétricas Mercedes (108.325 euros), aluguer de sistemas de distribuição CCTV em dois contratos (50.325 euros e 56.700 euros), serviços de comunicações (92.000 euros). o adjudicatário de todos estes contratos é a Estrutura de Missão para a Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia em 2021 (PPUE2021) e foram todos celebrados entre o final de abril e os primeiros dias de maio.

No total, as despesas somam exatamente 911.180,48 euros. O Polígrafo pediu esclarecimentos ao Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) sobre o orçamento da cimeira e a alimentação dos agentes da autoridade presentes no evento, mas não obteve resposta.

Conclui-se que é verdade que os polícias que garantiram a segurança do evento não receberam refeições por parte da organização, tendo sido a própria PSP a corrigir o erro.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network