O Polígrafo encontrou o gráfico em várias publicações no Facebook, todas feitas entre 24 e 25 de agosto, sem texto ou legenda a acompanhar. Na imagem partilhada pode ler-se que se trata de uma eurosondagem publicada no jornal "Nascer do Sol" e que os dados obtidos são referentes a agosto de 2021.

De acordo com o gráfico, PS alcança 41,3% das intenções de voto, PSD obtém 27,3%, Chega consegue 21,4%, CDU não vai além dos 6% e Bloco de Esquerda surge com apenas 5,6% das intenções de voto.

A sondagem foi mesmo realizada? E o gráfico é autêntico?

A sondagem é verdadeira, mas o gráfico é falso e altera os valores do Chega. No dia 21 de agosto, o semanário "Nascer do Sol" publicou um novo barómetro da Eurosondagem/Libertas que apresenta as intenções de votos dos portugueses e também a popularidade dos líderes políticos. O artigo seria colocado online a 23 de agosto.

Apesar de o partido de André Ventura estar, de facto, na terceira posição da sondagem, na realidade o Chega atinge os 9% nas intenções de voto dos portugueses, depois de ter registado em julho uma ligeira quebra. Os restantes partidos mantém os lugares e as percentagens. No entanto, o gráfico verdadeiro é mais completo e apresenta também os resultados do barómetro para o Iniciativa Liberal (4,5%), PAN (2,5%) e CDS-PP (2,1%).

A sondagem do semanário foi também partilhada por André Ventura no Facebook, no dia 21 de agosto quando o "Nascer do Sol" saiu na versão impressa. "Chega volta a subir e distancia-se do PCP e BE", escreveu.

Quanto à atuação dos líderes políticos, os primeiros três lugares correspondem aos três partidos com mais intenções de voto: António Costa com saldo positivo de 46,4%, Rui Rio com 22% e André Ventura com 6%.

Seguem-se Jerónimo de Sousa com 4,8%, João Cotrim Figueiredo consegue passar de um saldo negativo em julho para, pela primeira vez, contar com um saldo positivo de 2%, ultrapassando Francisco Rodrigues dos Santos que conta com 1%. Com saldo negativo, estão a coordenadora bloquista, Catarina Martins, com -1% e a líder do PAN, Inês Sousa Real, com -1,4%.

Em suma, o gráfico em análise é falso. De acordo com o histórico de evolução das sondagens para eleições legislativas na página da Marktest, baseado em dados registados na Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), o Chega nunca ultrapassou ainda a fasquia de 20%.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network