No tweet datado de 8 de fevereiro apresenta-se também um gráfico de barras que compara o número de alunos do ensino básico e secundário (1.043.756) com o número de computadores entregues pelo Ministério da Educação (100 mil) até ao final de dezembro de 2020.

É verdade que cerca de "90% dos alunos portugueses continuam sem receber os computadores prometidos"?

Começando pela questão da promessa, tal como o Polígrafo já verificou em artigo recente, a promessa foi claramente expressa pelo primeiro-ministro António Costa, em entrevista à Agência Lusa, no dia 11 de abril de 2020.

"Assumimos um objetivo muito claro: nós vamos iniciar o próximo ano letivo assegurando o acesso universal à rede e aos equipamentos a todos os alunos do ensino básico e secundário", garantiu então Costa.

"É muito mais do que ter um computador ou um tablet. É ter isso e possuir acesso garantido à rede em condições de igualdade em todo o território nacional e em todos os contextos familiares, assim como as ferramentas pedagógicas adequadas para se poder trabalhar plenamente em qualquer circunstância com essas ferramentas digitais", assegurou.

Em setembro de 2020, no início do novo ano letivo, com o ensino presencial retomado, o Ministério da Educação não tinha entregue qualquer computador. Apenas no dia 22 de outubro é que o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, anunciou a distribuição dos primeiros equipamentos: 100 mil, para a primeira quinzena de novembro, o que viria a ser concretizado.

Daí até hoje não foram entregues mais computadores aos alunos. O Governo anunciou, porém, a 12 de janeiro, a aquisição de mais 335 mil unidades e, a 4 de Fevereiro, de outras 15 mil. Todas ainda sem data de entrega assegurada pelo Ministério da Educação.

Quando estas 350 mil unidades estiverem disponíveis (cerca de 273 mil foram adjudicadas já depois de 30 de dezembro), o Executivo conseguirá cobrir a totalidade dos alunos mais carenciados: escalões A e B da Ação Social Escolar.

Os dados mais recentes da Direção-Geral de Estatísticas da Eduação e Ciência quanto ao número de alunos do ensino básico e secundário (nas escolas públicas), referentes ao ano letivo de 2008/19, apontam para um universo de 1.099.743 alunos, mais 55.987 (5,36%) do que o número indicado na publicação sob análise.

Com 100 mil computadores distribuídos a 31 de dezembro de 2020 (e também até hoje), apenas 9,1% do total de alunos do ensino básico e secundário tinham na sua posse o referido equipamento informático que o Governo se comprometera a fornecer no início do ano letivo 2020/21.

Em suma, é verdade que cerca de 90% dos alunos continuam sem receber o computador prometido por António Costa, trata-se até de um valor ligeiramente superior (90,9%).

__________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network