A acusação ganhou repercussão ao ser partilhada por um site canadiano: Reed Hastings, CEO da plataforma de streaming Netflix, foi detido por agentes do FBI (Federal Bureau of Investigation) na posse de 13 mil ficheiros de pornografia infantil. O diretor-executivo teria sido preso em casa, na Califórnia, segundo a mesma fonte.

As alegadas ligações da empresa norte-americana à pornografia infantil começaram a ser faladas semanas antes, quando a Netflix colocou no catálogo o filme francês “Mignonnes”, em inglês “Cuties”, criticado por supostamente expor sexualmente meninas de 11 anos.

Detenção Netflix

É verdade que Reed Hastings foi preso por posse de pornografia infantil?

A plataforma de fact-checking Snopes garante que a acusação é falsa. Como explica o jornal de verificação de factos, se o diretor-executivo de uma grande empresa como a Netflix fosse detido, o FBI emitiria um comunicado sobre a operação policial. No entanto, todos os rumores sobre a suposta prisão têm por base publicações nas redes sociais e a notícia colocada a circular por um site com histórico de propagar fake news.

“Netflix CEO gets BUSTED with 13,000 files of CHILD PORNOGRAPHY” (que pode ser traduzido para “CEO da Netflix detido com 13 mil ficheiros de pornografia infantil”) era o título do artigo em causa. O portal fez várias alterações à notícia até que acabou por a apagar, explica o Snopes.

Poucos dias depois da morte de Chadwick Boseman devido a um cancro do cólon, o mesmo site publicou uma autópsia falsa que garantia que o ator tinha sido envenenamento. A mesma página também noticiou que Vladimir Putin teria morrido devido à Covid-19.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network