A imagem mostra vários edifícios ao lado de um canal, alguns barcos atracados e, na água, uma enorme quantidade de aves que parecem ser flamingos. As legendas que a vão acompanhando, em inúmeros murais nas redes sociais, ajudam a perceber o que se está a passar e onde: "Veneza em quarentena"; "Chegada dos cisnes rosados a Veneza, coisa que não acontecia há muitos anos! A quarentena, sem gôndolas e outras embarcações, ofereceu-nos toda esta beleza!"; "Veneza, flamingos livres e felizes, sem humanos".

Ora, os posts dão a entender que, devido à ausência de intervenção humana nos canais da cidade, na sequência do recolhimento obrigatório como medida de combate à Covid-19, milhares de flamingos estão a invadir as águas, mostrando que a pandemia está a ter efeitos positivos na preservação da vida selvagem. No entanto, as alegações são falsas, tal como já sinalizaram também a Snopes e a Boatos.org, plataformas de fact-checking dos EUA e Brasil respetivamente.

A imagem que tem circulado no Facebook e no Twitter é, na verdade, uma obra de arte, uma ilustração da autoria de Kristina Makeeva, artista russa que publicou a criação no seu perfil de Instagram, com a seguinte legenda: "Quando as pessoas ficam em casa - a cidade é ocupada por outros residentes".

É certo que a descrição pode induzir em erro, mas um olhar atento permite desvendar que a imagem não corresponde a uma fotografia. Além disso foi perguntado várias vezes à artista, na caixa de comentários, se a publicação correspondia à realidade, ao que Kristina Makeeva foi respondendo que "não", ou que "é arte".

Ainda assim, os esclarecimentos não foram suficientes: talvez levados pela emoção, muitas pessoas utilizaram a imagem e partilharam-na como se fosse um retrato real daquilo que se vive atualmente na cidade italiana, em tempos de confinamento.

Esta não é a primeira vez que surgem notícias falsas sobre os efeitos positivos da pandemia em Veneza. Em duas outras ocasiões circularam não só nas redes sociais, como em jornais e televisões, imagens de cisnes e golfinhos a habitar os canais desertos da cidade. Na realidade, as aves já costumam ser avistadas nas águas de Burano, uma pequena ilha na área metropolitana de Veneza onde a imagem foi captada, e os golfinhos tinham sido, afinal, filmados num porto da ilha de Sardenha.

De qualquer maneira, não é mentira que o novo coronavírus tem tido efeitos positivos nos canais de uma das cidades mais turísticas em todo o mundo, cuja água está agora mais limpa, com mais peixes e mais patos.

Curiosamente, em Bombaim, uma cidade costeira na Índia, foram filmados, de verdade, milhares de flamingos em meados de abril, um cenário invulgar que foi possível graças ao confinamento obrigatório no país. Sem a presença do homem nas águas da metrópole, os animais selvagens ocuparam zonas que, até então, não eram habituais.

______________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network