"Fala-se muito em reciclagem e há muitas campanhas da Sociedade Ponto Verde. Pedem para fazermos a separação de vidro, plástico e cartão, mas quando o camião vem fazer o levantamento dos contentores coloca tudo no mesmo sítio", alega uma leitora do Polígrafo em mensagem enviada à redação.

Nesse sentido pede que o Polígrafo verifique "se andamos a ser enganados de alguma maneira" e "se a reciclagem que fazemos existe mesmo e serve de alguma coisa".

É recorrente a ideia de que os "camiões do lixo" que recolhem os resíduos acabam por despejar o conteúdo de todos os ecopontos no mesmo contentor, assim misturando vidro, plástico/metal e papel/cartão. O Polígrafo detetou vários exemplos de publicações nas redes sociais, ao longo dos anos, que difundem tal alegação.

"Ah ah ah, reciclagem dos lixos. Vem um camião e despejam tudo junto e querem convencer os idiotas. Portugal é uma anedota", lê-se num tweet de 2 de novembro de 2021, a título de exemplo.

Verdade ou falsidade?

Questionada pelo Polígrafo, Ana Trigo Morais, diretora-executiva da Sociedade Ponto Verde, garante que essa ideia de que os resíduos dos ecopontos são misturados nos camiões "é um dos mitos mais comuns, e falsos, que ainda persistem sobre a reciclagem".

A representante desta entidade gestora da retoma e valorização dos resíduos de embalagens explica que "os camiões que fazem especificamente a recolha dos resíduos recicláveis nos ecopontos azuis, verdes e amarelos, têm, no seu interior, compartimentos distintos para colocar cada um dos materiais". Assim sendo, "o mesmo camião faz a recolha por material/cor do ecoponto e cada material vai devidamente separado".

Os materiais mantêm-se separados "durante o transporte até serem descarregados nos centros de triagem, onde é feita uma seleção ainda mais rigorosa desses mesmos resíduos de embalagem".

Este mito é tão comum que várias empresas e entidades, incluindo a Sociedade Ponto Verde, já tiveram de promover campanhas para esclarecer que os materiais não são misturados dentro do camião de recolha. A título de exemplo, a Resinorte, empresa que efetua triagem, recolha, valorização e tratamento de resíduos urbanos do Norte Central, lançou em 2020 um vídeo informativo que refuta essa ideia.

Em conclusão, é falso que os camiões de recolha de resíduos misturem os materiais depositados nos diferentes ecopontos. Na realidade "têm, no seu interior, compartimentos distintos para colocar cada um dos materiais", ao que acresce uma "seleção ainda mais rigorosa" nos centros de triagem.

___________________________________

Este artigo foi desenvolvido no âmbito do European Media and Information Fund, uma iniciativa da Fundação Calouste Gulbenkian e do European University Institute.

The sole responsibility for any content supported by the European Media and Information Fund lies with the author(s) and it may not necessarily reflect the positions of the EMIF and the Fund Partners, the Calouste Gulbenkian Foundation and the European University Institute.

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
International Fact-Checking Network