Os incêndios na Amazónia motivaram muitas publicações de solidariedade nas redes sociais. Personalidades nacionais e internacionais ou até partidos políticos expressaram a sua preocupação com os vários incêndios que lavram há mais de duas semanas na maior floresta tropical do mundo. O Bloco de Esquerda foi um deles. Publicou uma imagem na página de Facebook do "Esquerda.Net", plataforma oficial do partido, que não corresponde aos incêndios atuais nem foi captada na Amazónia.

A fotografia em causa foi captada por Lauro Alves, fotógrafo da AFP, em março de 2013, e mostra o incêndio que atingiu a Estação Ecológica do Taim, no Rio Grande do Sul, Brasil. Foi publicada na página da NBC News, a 5 de abril de 2013, no âmbito de uma fotogaleria que compilava as imagens mais marcantes da semana. Na descrição ficamos a saber que "o fogo, que tinha começado no dia anterior, tinha atingido aproximadamente 1.400 acres [sendo que um acre corresponde a um campo de futebol americano] e o risco de se espalhar era severo, uma vez que não havia forma de chegar ao local por água ou terra".

Contactado pelo Polígrafo, o Bloco de Esquerda reagiu dizendo que "foi publicada erradamente uma imagem difundida por vários órgãos de comunicação social".

"Fomos alertados por utilizadores nas redes sociais e, consequentemente, publicámos uma nota pública pedindo desculpa pelo erro na própria publicação", acrescenta ao partido liderado por Catarina Martins. No entanto, ressalvam que "este erro não retira a pertinência do problema".

Na publicação, o Bloco de Esquerda sublinhou que o incêndio na Amazónia "é um problema mundial e é uma consequência direta da política de Bolsonaro. Depois de cortar radicalmente o financiamento da prevenção de incêndios, de ignorar os avanços criminosos da máfia que todos os dias desbasta a maior floresta do mundo".

No entanto, não foi só o Bloco de Esquerda que utilizou esta fotografia erradamente. Também Cristiano Ronaldo fez a sua publicação de alerta e solidariedade em relação ao desastre ambiental utilizando a mesma imagem. "A floresta tropical da Amazónia produz mais de 20% do oxigénio do mundo e tem estado a arder nas últimas três semanas. É nossa responsabilidade ajudar a salvar o nosso planeta", destacou o jogador de futebol no Twitter.

O presidente da França, Emmanuel Macron (ver aqui), o ator norte-americano Leonardo DiCaprio (ver aqui) e a cantora Madonna (ver aqui) também publicaram imagens de incêndios que não correspondem aos que pretendiam mostrar. Apesar de ambas as fotografias terem sido captadas na Amazónia, o facto é que nenhuma delas é atual.

A imagem publicada por Macron e DiCaprio foi tirada pelo fotógrafo Loren McIntyre que faleceu em 2003. Enquanto a de Madonna corresponde a um incêndio de junho de 1989 e pode ser encontrada na página do jornal "The Guardian", por exemplo, num artigo de 2007 sobre a desflorestação na Amazónia.

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro