"Decisão de Trump faz com que Bill Gates se torne no maior financiador da OMS", destaca-se no título da publicação em causa. "Depois de ter por várias vezes ameaçado a OMS, que acusa de ter lidado mal com a pandemia de Covid-19, Trump anunciou a 29 de maio de 2020 que vai efetivamente cortar todo o financiamento do Governo Federal dos EUA à OMS", indica-se no respetivo texto.

"Mas o maior financiador desta organização vai continuar a ser dos EUA. Como é possível? Simples. Antes da retirada do apoio financeiro agora anunciado por Trump, o segundo maior financiador não era um outro Estado que não os EUA, mas sim uma fundação, detida por um cidadão do mesmo país - Bill Gates, o segundo homem mais rico do mundo, depois de Jeff Bezos", conclui-se.

Verdade ou falsidade?

No dia 29 de maio de 2020, Donald Trump, atual presidente dos EUA, anunciou que os EUA vão desvincular-se e cortar o financiamento à OMS, após várias ameaças nesse sentido em período de pandemia do novo coronavírus.

"Vamos terminar a nossa relação com a OMS e redireccionar estes fundos para outras necessidades de saúde pública. O mundo precisa de respostas da China sobre o vírus", declarou Trump, questionando: "Porque é que a China fechou as pessoas infectadas em Wuhan, não as deixando viajar para outros locais da China, mas permitiu que estas pessoas viajassem livremente pelo mundo, na Europa e nos EUA?"

Na página institucional da OMS, consultando os dados referentes ao ano de 2019, verifica-se que os EUA foram os maiores financiadores da agência, com contribuições na ordem dos 650 milhões de dólares (cerca de 580 milhões de euros). O segundo maior financiador foi Bill Gates, através da fundação Bill & Melinda Gates Foundation, tendo contribuído com 520 milhões de dólares (465 milhões de euros).

«

No dia 1 de junho de 2020, Tedros Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, afirmou em conferência de imprensa que "a colaboração e generosidade do Governo dos EUA e do seu povo para o objetivo da saúde global durante muitas décadas foram enormes e fizeram uma grande diferença na saúde pública em todo o mundo. É desejo da OMS que esta colaboração continue".

Sim, caso se confirme a desvinculação e corte de financiamento dos EUA, é provável que a Bill & Melinda Gates Foundation passe a ser o maior financiador da OMS, atendendo aos números registados em 2019. Mas não é um dado adquirido.

__________________________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network